Books, Everything Else

Como e por que sou Jornalista + A Reportagem, de Nilson Lage

13.06.2012

Pessoal, antes de qualquer outra coisa, quero agradecer a vocês pela recepção! Ser bem recebido pelos leitores é algo sem igual.

Bom, atendendo a pedidos, o primeiro post será sobre essa fantástica (e incompreendida) área de atuação que eu escolhi: Jornalismo. Para não fugir da proposta inicial, além de falar do curso, vou indicar um excelente livro sobre o tema. Que tal? Vamos lá.

A serviço do público

Outro dia me perguntaram por que eu escolhi ser jornalista. Clássico. A primeira resposta que me veio na cabeça foi “porque eu gosto de escrever”. Faz sentido (o texto, falado, escrito ou até mesmo ‘desenhado’, é uma das nossas principais ferramentas de trabalho), mas não era o suficiente. Pensei mais um pouco e me lembrei de algo que me anima a continuar na área: a missão do jornalista, que é levar informação ao público.

Ferramentas de trabalho

Muita gente não leva isso tão a sério. Estão tão acostumados àqueles clichês que a gente ouve o tempo todo (“essa mídia sensacionalista…” ou “esses jornalistas não sabem nada” ou ainda “é tudo manipulado”) que não veem a beleza do Jornalismo. É claro que existem maus profissionais, é claro que existem muitos casos de corrupção, informações falsas, matérias apelativas, mas isso não desmerece o esforço de milhões de jornalistas que vão atrás de informações que o seu público deseja (ou precisa). O fato de existirem maus advogados, por exemplo, não transforma o Direito em algo ruim, certo?

É claro que se gostar de escrever é a sua maior motivação para entrar no curso, não tem problema algum. A ideia da missão vem com o tempo, conforme você se aprofunda no tema.

Diplomado, por que não?

Por falar nisso, me lembrei de outra pergunta que ouvi bastante nos últimos anos: “por que eu deveria fazer o curso de Jornalismo, se o diploma nem é obrigatório?”. São tantos motivos que eu preciso tomar cuidado pra não me empolgar e fazer um post interminável. Vou ser breve.

O curso aborda diversas áreas (o clássico “um pouco de tudo”): Filosofia, História, Sociologia, Ética e Legislação e, claro, Redação e Teorias da Comunicação. Tem as disciplinas práticas, nas quais você aprende as vantagens, dificuldades e outros detalhes de cada tipo de veículo (jornal impresso, telejornal, programa de rádio, web). Não sei quanto a vocês, mas eu tenho a leve impressão que esse tipo de conhecimento pode útil pra quem quer trabalhar na área. Minto: tenho certeza de que é útil.

Fiz essa tirinha para o jornal da faculdade em 2010, depois da Feira de Cursos e Profissões da UFPR (Universidade Federal do Paraná), onde fiz o curso. Os diálogos são reais hehe

Além da “bagagem” que o curso oferece, só o fato de você passar quatro anos (ou mais, quem sabe) aprendendo sobre a área, refletindo se realmente quer seguir esse caminho e lidando com os desafios é extremamente importante. “Se jogar” em uma profissão sem conhecer praticamente nada sobre ela é um risco que eu acho desnecessário. Pode dar certo? Pode. Mas saber o que te espera pode fazer você mudar de ideia.

Continuação da tirinha anterior. Algumas pessoas têm ideias divertidas sobre a área, não?

Guia para futuros (e demais) Jornalistas

Bom, conforme prometido, vou indicar um livro que, na minha opinião, é excelente para quem quer saber mais sobre a área. Chama-se A Reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística, escrito pelo professor Nilson Lage, do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. Escrito em 2001, foi lançado pela Editora Record e está na 8ª edição.

Sem gastar muito tempo com detalhes, ele fala um pouco sobre a evolução da “Imprensa”, desde os cartazes com notícias do Império Romano até as revistas que são vendidas naquela banca perto da sua casa.

O estilo dele é simples e, por isso mesmo, atraente. Não assusta quem não é da área e não cansa quem já é. Fala sobre tipos de reportagem, desafios de apuração (coleta de informações) e dá conselhos para quem tem dificuldades na hora de escrever. Fala também sobre ética, relação com as fontes (entrevistados) e outros temas importantes.

Parte editorial: aprovada

Ele é dividido em capítulos curtos, que por sua vez são divididos em trechos ainda menores. Não sei vocês, mas eu gosto de livros assim, porque me dão a impressão de estar avançando rápido e deixam a leitura mais fluida. Você pensa “vou ler só mais esse capítulo aqui…” e, quando vê, já leu três.

Toda a parte “editorial” do livro me agradou: a textura da capa, a cor das folhas (levemente amarelas, não cansam tanto a vista como as folhas brancas), as fontes usadas e as margens. Tudo colabora para deixar a leitura ainda mais agradável. Preciso dizer mais?

Bom, por hoje é isso. Se alguém quiser fazer perguntas, críticas ou sugestões nos comentários, será muito bem-vindo. Obrigado mais uma vez pela recepção. Boa semana!

Por

Gui

  1. iza marques says:

    legal o texto! Não só na área de jornalismo, mas a comunicação social em si (faço publicidade! =D) sofre com opiniões adversas, sei bem o que é isso! mas é uma área linda! com certeza! :)

    valeu gui, volte sempre! hahaha :*

  2. Daniela says:

    Olá!
    Como jornalista recém-formada, adorei ler sobre o tema. Me identifiquei bastante, mesmo! Além disso, vc escreve muito bem e isso estimula a leitura. Tb adorei as tirinhas, são ótimas. Já li o livro, é realmente muito bom. Foi um dos primeiros que trabalhamos na faculdade. Parabéns! Vou esperar ansiosa pelos próximos posts. =)

  3. Luana says:

    De fato foi ótimo passar por aqui hj bem na hora desse post… porque por mais incrível que pareça, enquanto cursava publicidade e propaganda e tinha as noções necessárias em determinadas matérias voltadas de forma ampla e pouco complexa pro jornalismo, de cara eu ja pensava “começo na publicidade, posso tbm partir pra relações publicas, fotografia, mas jornalismo? jamais!”
    As dificuldades em textos com a técnica necessária da pirâmide invertida eram grandes e tensas(oi professor Josemir), o que contribuiu aida mais pra desistir de vez de encarar essa especialização que me incluiria mais pouco tempo de faculdade depois de formada…
    Acho que no fim das contas, só quis mesmo era fugir de notícias tristes (e técnicas de escrita,eca! rs…). De qualquer forma, ia ser interessante entrar mais no assunto informativo

    Oi Zezinha ♥ *-*

  4. Flávia says:

    amei as tirinhas e o post foi ótimo !

  5. Luciana Scherner says:

    Adorei o post! Você escreve super bem. Parabéns!

  6. Beatriz Cruz says:

    Todos os dias vejo esse site para ver se tem atualizações, pois adoro acompanhá-lo, mas essa postagem foi a que mai sme identifiquei.
    Bem… me formo esse ano em Jornalismo né (okay, era para eu estar formada, mas eu entrei um ano depois pois fiz um ano de História. HAHAHAHA), e eu vejo MUITOS esteriótipos sobre a profissão. A verdade é que só quem vive a rotina de um jornalista, que ESTUDA e PRATICA o jornalismo… sabe como realmente funciona. É muito fácil apontarem só pontos negativos e acharem que as aulas são inúteis – visto que o diploma caiu (isso foi até tema do meu pré projeto HAUAHIUAHUAH) – sendo que a pessoa não vive e não entende a importância que os jornalistas capacitados têm para a sociedade.
    Nossa! Eu aplaudo a indicação do livro, mas indico lerem qualquer um do Nilson Lage (já passei várias noites “Lageando”), indico também Ciro Marcondes Filho – muito bom!

    É engraçado pq antes de eu entrar para o curso, eu pensava que era só sentar e escrever… até aprender que sim, é só sentar e escrever… escrever com todas as regras, da forma correta, dentro do gênero que você trabalha… e até chegar na parte escrita, temos que pautar, apurar… é um longo proceso até chegar no “é só escrever”.
    Tem um livro MUITO BOM também que eu indico, que é “Perguntar ofende?”, é sobre as perguntas que os jornalistas não devem fazer, MAS FAZEM! Dá para aprender e rir bastante com o livro.
    Quando você começa a fazer jornalismo, sua vida MUDA, você nunca mais verá as coisas com os mesmos olhos.
    Sinto orgulho da minha profissão, foi o post que eu mais me identifiquei e ADOREI! Espero mais assim /aquelas
    *-*

    Parabéns, resumiu em poucas linhas o que realmente é fazer jornalismo e ser parte disso.

  7. Yasmine says:

    Guilherme, o Jornalismo é uma área incrível e eu tive que vir aqui comentar!

    Eu já ouvi falar muito nesse livro, mas ainda não li!

    Tu já leu os livros da Editora Contexto? Eles são um pouco superficiais, mas cada livrinho conta em partes cada área do Jornalismo.

    Eu queria que aqui vc publicasse alguma matéria que vc escreveu! vc topa?

    Saindo do assunto, essas pessoas têm uma mentalidade muito pequena em relação ao Jornalismo. Querem passar longe de notícias de tragédia, porque acham que os repórteres só dão notícias ruins. Mas, nem tudo são flores. Fora a falta de conhecimento em atualidades que nos cerca.

    • Gui says:

      Valeu pelo comentário, Yasmine!

      Conheço os livros, sim. Por sinal, usei um deles (Jornalismo Científico) no meu TCC. Como você disse, eles são um pouco superficiais, mas são uma boa introdução!

      Quanto à velha crítica de “vocês só publicam tragédia”… bem, tem veículos que fazem isso mesmo. A maioria, porém, dá espaço a coisas boas e ruins. Não adianta querer fechar os olhos para os problemas que nos cercam, não?

  8. Giovanna says:

    Gui, seu bonito (: hahaha, bom ver você ajudando outras pessoas além de mim. O caminho do jornalismo é todo cheio de curvinhas, possibilidades. É um mundo bem extenso, uma vez que jornalista pode falar sobre qualquer coisa.
    E obrigada por ter me emprestado esse livro. Me deu forças para continuar na faculdade, haha, sem desistir no primeiro bimestre.
    Você é lindo! Te adorei ver escrevendo por aqui!

    (sou sua admiradora, você sabe, amigo!)

    • Gui says:

      Valeu, Gi! Admiro muito você e a sua personalidade enérgica hehehe (essa palavra resume muito bem, não? :P)

      Fico feliz em ter ajudado! É normal a gente desanimar em alguns momentos do curso mas, se gostamos da área, temos que lidar com esse desânimo ocasional!

      \o/

      p.s.: cadê os posts novos? hehe

  9. Eu adorei o seu post, principalmente porque pretendo fazer Jornalismo! Assim como você, penso que é importante fazer faculdade, tanto para conhecer melhor o que vou fazer durante toda a minha vida, tanto para melhorar meu desempenho. E também escolhi Jornalismo porque amo ler e escrever :p haha
    E obrigada pela dica do livro, vou comprá-lo *-*
    Beijos!

  10. Humberto says:

    Fico muito feliz com o poder de síntese do Gui. Ele abordou de forma clara o por que de ser jornalista.
    Tenho muito orgulho dele também

  11. Laura says:

    Gostei muito do post! A área do jornalismo me é muito atrativa, e depois que eu me formar em Moda pretendo me especializar em algo relacionado a isso, à marketing, etc.

    Um beijo!

  12. Maria Clara says:

    Adoreeei o post! Muito legal mesmo! *—*

  13. Cris Langner says:

    Parabéns pelo post, foi muito bom ler,bem explicativo sem cansar… super bem escrito, até deu vontade de ser jornalista!mais uma vez parabéns.

  14. Déborah says:

    Eu amei o texto. Quero fazer jornalismo e fotografia. Vou direto comprar o livro.

  15. Marji says:

    Jornalismo sempre me pareceu atraente! Por diversos motivos acabei indo para exatas, mas eu realmente adoro a área. Acredito que me formo em bacharelado em informática biomédica quando tiver 21 anos e não deixo de cogitar uma segunda faculdade, em jornalismo (mesmo que vá fazer só por prazer, e provavelmente só depois do doutorado). Foi um bom texto! Obrigada pela iluminação! :D

  16. Nossa, estou no 1º período da faculdade de jornalismo na Universidade Federal de Juiz de Fora, e super me identifiquei com o texto! E fiquei doida pra ler o livro que você indicou, vou procurá-lo já! :)

  17. Gui, adorei o post, esclarecedor, divertido e muito bem escrito. Confesso que não me surpreendi porque sei o quanto é competente e como você se identifica com a carreira que escolheu, o que, na minha opinião, é indispensável para exercer uma profissão com seriedade e poder se realizar com essa escolha!!! :)

    Parabéns, filhote, adoro o jeito que escreve, os desenhos que faz e o seu humor hahahaha.

    Continue dirimindo as dúvidas de quem se interessa pela área, nos encante sugerindo livros interessantes, falando de assuntos legais e dando dicas sobre os diversos tipos de edição citando os prós e os contras de cada um!

    Beijinhos no coração da sua fã número 1 ♥

  18. Niih; says:

    Gostei muito do post! Jornalismo já foi uma das minhas opções, mas acabei escolhendo Psicologia. Seria muito legal se a Mel fizesse um post nesse estilo, falando sobre o curso dela.

    Estou aguardando as suas próximas indicações :3

  19. Felipe says:

    Mto bom!!
    Agora quero ver, ou melhor, ler suas crônicas e resenhas de livros que indica.
    Abraço!

  20. Luíza says:

    Muito bom o post! Adoro ouvir falar sobre profissões! MeL, bem que vc podia pedir para Lara nos contar como ela escolheu e como alcançou a profissão dela. A área de atuação da Lara é muito interessante (ao meu ver) e eu adoraria saber mais detalhes! O que acha?

  21. Opa! Gostei do seu post, também sou formada em jornalismo e este livro do Nilson Lage foi um dos que li e gostei bastante, inclusive me ajudou na construção meu projeto final.
    Até mais, colega!

  22. Nayla says:

    Muito bom o seu post sobre Jornalismo. Me deixou com mais vontade ainda de cursar e definitivamente irei. É o mair sonho que guardo desde os 9 anos de idade e espero conseguir me adaptar ao curso em breve =)

    Xx

  23. Karem F. says:

    bastante esclarecedor teu texto…
    muitos jovens acabam se arrependendo no meio do curso pois não se informam sobre antes de ingressar, mas depois das dicas e do incentivo acho que ficou bem mais fácil ter alguma noção sobre jornalismo.

  24. Zilah says:

    Muito bacana! A Zezinha deve estar morrendo de orgulho dos filhotes! hahaha
    Bem objetivo o post! Vou repassar a indicação do livro para minha irmã que faz jornalismo!

    Me formei em publicidade mas, vou contar que tenho um certo arrependimento pois, é uma profissão que não permite essa troca de informações relevantes com o público, é muito direcionada, comercial e isso não me agrada. Tanto que hoje trabalho com assessoria de comunicação no Terceiro Setor. Foi a forma que encontrei para não jogar fora os 4 anos de estudo!

    :)

  25. Laila Dias says:

    Oi, gostei do texto, principalmente porque tenho muita dúvida sobre fazer ou não jornalismo, já pensei em letras também porque gosto de escrever, mas acho que jornalismo é minha verdadeira vontade. Seria legal se você falasse também sobre o mercado de trabalho, porque acho que é o que mais deixa as pessoas em dúvida assim como eu. :)

    http://ratinhaeleita.blogspot.com

    • Gui says:

      Obrigado, Laila!

      Em relação ao mercado de trabalho, só tenho uma coisa a dizer: ele não é motivo para deixar de fazer curso que você quer. Se fosse assim, todo mundo iria para essas áreas que estão “em alta” no momento (Análise de Sistemas, Meio Ambiente etc.) não para seguir uma vocação, mas por uma suposta “segurança”.

      Não desanime! \o/

  26. Alessandra says:

    Adorei o post, Gui! Achei bem esclarecedor,quem estava com dúvidas deve não estar mais! (:

  27. tania says:

    A area de humanas e comunicação é forte por aqui,hein?!
    Psicologia,jornalismo,direito…
    Há tão poucas vagas na federal pra jornalismo…mesmo com o descredito do diploma,a porcentagem aluno/vaga do vestibular da ufpr é concorridissima……
    Como foi sua preparação pro vestibular?!
    Foi sua primeira opção?!
    O que voce achou da relação vagas por cotas
    para indios,negros e tals?!
    Achou justo um critério de avaliação baseado em cor,raça,ou condição social?!
    Ops,me empolguei e acabei de fazer uma entrevista!
    Bom,é que tenho visto de perto algumas peculiaridades neste sistema de avaliação que oferece poucas vagas em ensino superior publico, pra muitos alunos. Só isso.

    • Gui says:

      Obrigado pelo comentário, Tania! Nunca levei jeito pra Exatas, e as outras não me atraíam tanto…. Vamos lá
      1) No terceiro ano, saí do colégio onde estudava e fiz Pré-Vestibular (“Cursinho”). Como queria passar de primeira, me empenhei pra caramba nos estudos hehe
      2) Foi minha primeira opção
      3 e 4) Eu achava que só devia haver cotas sociais, não raciais. Mas isso é uma questão complicada, que não dá pra tratar sem criar polêmica

      Gostei da empolgação hehe Quem sabe é um sinal de que você leva jeito para a área?

  28. Kátia says:

    Gostaria de indicar uma jornalista aos futuros colegas de profissão. Leiam Eliane Brum.Tenho certeza que irão amar. :)

  29. Kátia says:

    Mel, estou amando seu blog. As fotos que você posta são lidas e fofas :). Queria sugerir mais posts sobre organização. Percebi que você é bastante organizada e deve ter muitas dicas para compartilhar. Bj

  30. Patty K says:

    Oi, Gui! Adorei as tirinhas! :)
    Tem um amigo meu que vive dizendo que eu deveria ser jornalista, porque amo escrever e compartilhar conhecimento com as pessoas. Mas ao invés disso eu escolhi a Música =p
    Inclusive, tem uma certa semelhança as pessoas achando que é “inútil” fazer faculdade de jornalismo e as que acham que faculdade de música não serve pra nada. Certo, você pode ser o melhor músico do mundo, mas pra quê desdesenhar da quantidade de conhecimento que vai conseguir no curso, e da quantidade de pessoas que vai conhecer? É uma oportunidade única, pra qualquer que seja a sua profissão.

  31. Helena Merlo says:

    Adorei o post e os comentários, reforçando :
    **Adorei a mini entrevista da Tania, que poderia virar um post do Guilherme, no estilo Artigo, né!
    **Também adoreia a sugestão da Kátia de um post sobre organização da Mel!
    **Também gostei das sugestões da Niih e da Luiza, e adoraria ver post sobre as profissões dos colaboradores, e outros profissionais até, a gente sempre tem ideias vagas sobre os cursos.

    Sobre o post, lindo, estou fazendo curso pré-vestibular e sempre pensei em jornalismo, mas nunca tive certeza, e acho que não dá pra ter até vc ingressar mesmo no curso.

    **Queria sugerir que o Guilherme faça outro post com o assunto, “desenhando” mais o curso, exemplo, primeiro semestre o foco é … assim por diante, matérias obrigatórias, matérias opcionais, tipos de formação, sei lá, um resumão mesmo, REAL VIDA DE ESTUDANTE DE JORNALISMO e DO CURSO!

    Abrr, obrigada …

    • Gui says:

      Obrigado, Helena! Fico feliz que tenha gostado. Espero que você seja aprovada e se identifique com o curso!

      Quanto a mais posts sobre o tema… Este aqui foi muito bem recebido (valeu, pessoal!), mas acho que é melhor continuar o tema em outro momento. Quero que os posts sejam interessantes para o maior número de leitores possível. Por enquanto, o Jornalismo vai para a lista de espera hehehe Mas obrigado pela dica!

  32. Raíssa says:

    Nossa adorei o post Gui, sou jornalista e jornalismo realmente é um profissão encantadora. Queria saber como está o mercado ai em Curitiba? Pois aqui em Minas ele tá meio difícil. Sou tão apaixonada que pretendo até mudar para outra cidade para exercer a profissão. Quem sabe não vou para Curitiba? rs

    • Gui says:

      Obrigado, Raíssa!

      O mercado é amplo, porque tem várias áreas: Reportagem (Impresso, Revista, Site, Rádio, Televisão), Fotografia, Comunicação Interna, Assessoria de Imprensa, Redes Sociais… enfim. Dependendo das áreas que você prefere, pode ser um pouco mais complicado de arranjar trabalho. De qualquer forma, como eu disse para outra leitora, acho que o mercado de trabalho não deve desanimar ninguém. Se você gosta do que faz e se dedica, vai arranjar espaço!

  33. Barbara Dias says:

    Olá! adorei o post! faço jornalismo e estou gostando muito do curso! e tipo, quando a gente fala que faz jornalismo ouve cada comentário muito idiota! sério, tem gente que é muito bizarra e deve achar que nós somos pessoas de outro planeta! e quanto ao diploma, tbm já ouvi muita gente me pergunta “ué, mas se não a precisa de diploma pra que você tá fazendo faculdade?”, o conhecimento da faculdade você não encontra em nenhum lugar, afinal, pra você chegar em uma redação você tem que ter base neh! esse livro é muito bom mesmo, já li e até fiz um trabalho sobre o conteúdo, ou melhor esse autor é muito bom! parabéns pelo texto e que venha outros! =D

  34. luciele says:

    Adorei o seu post Gui, eu não faço jornalismo mas sempre foi a minha segunda opção, porque a primeira foi pedagogia, e assim como vc, eu também sofri um pouco com aquelas perguntas chatas que sempre fazem: porque vc escolheu pedagogia? porque vc quer ser professora, se ganha tão mal? mas no decorrer do curso eu fui me apaixonando, e vi que existem outras áreas que um pedagogo pode atuar. Agora que eu estou no terceiro período e a cada dia eu gosto mais!!! Beijos e quero ver mais posts seu.

  35. Juliane Garcez says:

    Olá! Achei este post interessantíssimo. Sou estudante de jornalismo e sei bem as perguntinhas desnessárias que nos são feitas. Tem uma que é clássica: “ah, vou te ver no jornal nacional?”
    Acho que seria bem legal se você continuasse a explorar este tema aqui no blog, até pra descontruir essas imagens equivocadas que as pessoas têm dos jornalistas, como mentirosos, manipuladores e sensacionalistas.
    Parabéns pelo post! Mal posso esperar pelo próximo! :)

  36. Karina Ingrid says:

    Eu realmente adorei esse post, e acho que precisava dele nesse momento tão dificil que esta sendo ter que escolher qual rumo tomar para minha vida. Estive pensando esses dias em qual curso fazer e jornalismo sempre esteve na minha lista de vontades, vou ler este livro e procurar saber mais sobre a profissão, adorei a forma que você escreve, é bem gostosa de ler. Simplesmente amei!

  37. Lorena Dias says:

    Adorei o post e me identifiquei bastante com o que você escreveu. Também faço jornalismo e quando optei por fazer esse curso passei por diversas situações como as que você citou, inclusive dentro de casa, já que minha mãe preferia que eu fizesse qualquer outro curso, menos esse. Hoje eu não me arrependo momento algum de ter escolhido essa área. Estou no 4º semestre e cada vez mais encantada com tudo que eu aprendo no curso. No fundo, eu acho que é isso que importa realmente: a pessoa fazer o que a deixa realizada e feliz, já que dessa forma as chances de fazer um bom trabalho são bem maiores.

  38. Fiz jornalismo, ou melhor faço, só me falta o tcc, mas não sei se eu voltasse no tempo faria de novo. Meu “problema” é que sempre tive muito claro na minha cabeça que queria trabalhar com moda e na minha faculdade o jornalismo ainda é fortemente atrelado ao impresso, aquele jornalismo de notícias convencional. Bom, é claro que hoje tudo que aprendi acaba somando para o meio que quero trabalhar!

    beijo.

  39. Thaís Terra says:

    Adorei o post e como sou nova como leitora no blog meu cometário está meio “atrasado” em relação aos outros…
    Achei interessante a indicação do livro pois estou preparando meu blog para ir ao ar em alguns meses e eu estava procurando um livro que me ajudasse a esclarecer algumas dúvidas e a escrever melhor…estou me formando em contábeis mas espero ser boa na escrita tbm….

    Abraço!

  40. Nathália Campos says:

    Gostei muito do post, eu tenho 16 anos e pretendo fazer faculdade de Jornalismo, o que ainda acho muito necessário. E tava lendo aqui exatamento porque antes de cursar a faculdade queria um livro, ou coisas sobre a profissão para ver se é o que realmente quero. Quero meio que ja estar ”preparada” haha. Se tiver alguma dica..

  41. Gui says:

    Olá, Nathália! Fico feliz em saber que você tem planos de cursar uma faculdade de Jornalismo. Tem um monte de livros sobre a área, mas às vezes é difícil encontrar um que seja mais voltado para quem ainda é “de fora”… Aqui vão algumas sugestões:
    – A reportagem, de Nilson Lage (o do post)
    – A prática da reportagem, de Ricardo Kotscho
    – Manual do Peninha (esse você encontra mais em sebos ou no Mercado Livre)
    – O prazer de ler jornal, de Walter Galvani

    Também vale a pena dar uma lida em alguns artigos do Observatório da Imprensa (http://www.observatoriodaimprensa.com.br), que sempre tem algo interessante.

    Ajudei? Espero que sim!

  42. Ni Portela says:

    Faz muito tempo que quero cursar Jornalismo, mas ultimamente só ando lendo posts que, de uma forma geral, são negativos em relação ao curso… Portanto, foi ótimo encontrar seu texto! Espero estar cursando Jornalismo no mesmo local que você cursou, em breve <3 :)


Deixe seu comentário