ALEATORIEDADES

Paris: Geografia e um pouco de história sobre o centro da cidade (Première partie)

Oh-là-là, mais c’est trop bizarre! O tempo anda meio estranho neste mundo, inclusive aqui em Paris: em pleno Verão, no início de julho, os termômetros chegaram a marcar 11 ºC na capital francesa, fato inédito dos últimos 30 anos! Que bom que eu gosto de frio, não é?

Enfim, a capital francesa… Sei que muitos de vocês (inclusive a dona fofíssima deste blog) sonham em vir aqui. Infelizmente, ainda, não sei como, não inventaram um teletransporte, então vou continuar sonhando em estar com todos vocês fazendo um piquenique na Pont des Arts, acompanhado de um bon vin rouge, baguette, Gruyère, jambon, sablés maison, gâteau... Nada, nada é impossível! Eu sei que isso tem chances de acontecer – digo, de vocês virem para cá, o piquenique, hm, por que não? Enfim, caso vocês venham e eu não esteja disponível pra dar uma de guia, eu vou fazer alguns posts dando dicas da Ville Lumière pra vocês terem anotadinhos aí, em algum cantinho.

Bom, hoje eu vou explicar pra vocês um pouco da geografia e da história de Paris – “buuuh Clara, poxa, você vai mesmo dar aula de geografia e história neste blog?! A gente deixa isso pra escola, né?…” – Calma, galera, vou mostrar como a geografia dessa cidade costuma ser um pouco mais importante do que se pensa por aí; e a sua história é muito importante, mas às vezes nem sabemos o porquê, né?

Ville de Paris – Capital e cidade mais populosa da França, é a principal da qual chamamos de La Region Île de France. Cortando a cidade, encontra-se La Seine, ou melhor, o Rio Sena, seu personagem principal.

Rio Sena sendo cortado pela île de la Cité e Pont Neuf cruzando a ilha

Nele, existem duas ilhas naturais – sim, duas – chamadas Île de la Cité (a ilha grande), e Île de Saint-Louis (a ilha pequena). L’Île de la Cité é o berço da antiga cidade de Lutèce, hoje conhecida como Paris. Foi ali que tudo começou, e onde hoje se encontram grandes marcos da cidade, como:

La Cathédrale de Notre-Dame de Paris: sim, aquela catedral gótica do Quasimodo:

Eu, voando na frente de Notre-Dame : Estava atrasada para a aula

 

De cima para baixo: Calum, Andy, Yoshio e Jonathan, meus amigos escoceses que vieram me visitar no meu aniversário *_* Digo, três deles são escoceses. Adivinhem qual não é :P

La Sante-Chapelle: capela do século XIII, que São Luís [Luís IX da França] mandou construir para abrigar a coroa de espinhos de Cristo e um pedaço da Sagrada Cruz, além de outras pequenas relíquias sagradas, hoje conservadas e bem guardadas em Notre-Dame;

Notre Dame por dentro. Não acho as fotos antigas que eu tinha da Sante-Chapelle :( Enfim, grandinha né? E ela só é a menor igreja gótica francesa, haha

Le Palais de la Justice: O principal centro de justiça da França (e ele é imenso: ocupa 1/3 da ilha!);
La Conciergerie: Entre o século X e XIV, era usado como residência e sede do trono de poderosos reis franceses, e durante 1370, parte do palácio foi convertida em prisão de estado;

O Sena, La Conciergerie/ Le Palais de la Justice. Le Palais na verdade “roubou” uma parte do prédio da Conciergerie

La Préfecture de Police: é ali onde os imigrantes e estudantes estrangeiros perdem um dia de suas vidas encarando a fila para conseguir um Visto;

Le Mémorial des Martyrs de la Déportation: memorial dedicado aos 200 mil deportados da França para os campos de concentração nazistas, entre 1941 e 1944;

e L’hôtel-Dieu de Paris: Hospital de Deus, conhecido também como Hospital da Caridade, já que foi construído para atender a população mais pobre durante a Idade Média. Hoje é o hospital mais antigo de Paris.

Pont d’Arcole e um pedaço do Hotel-Dieu, ao fundo.

Para ter acesso à ilha, podemos ir por cinco pontes, e estas, talvez, sejam as cinco mais importantes que cortam o Sena (existem 37 delas ao todo, e cada uma possui uma história… seriam essas histórias interessantes pra vocês, para um próximo post? XD haha). A Pont Neuf – traduzindo, “Ponte Nova”–, por exemplo: apesar do nome, é a ponte mais antiga de Paris. Datada do século XVI, foi a primeira ponte não feita de madeira – algo revolucionário na época – e foi também a primeira a atravessar o Sena inteiramente. É a única ponte que atravessa tanto a rive droite e a rive gauche. (calma calma! já já vou explicar o que isso significa :D)

Pont Neuf.

Além dessa, existem ainda le pont au Change, le pont Notre-Dame e le pont d’Arcole, que atravessam le Grand bras (o Grande braço), na rive droite,

Pont Notre-Dame, e um Bateau-Mouche (“Barco-Mosca”, vulgo barquinho-para-turistas)

Le pont Saint-Michel, le Petit-Pont, le pont au Double, e le pont de l’Archevêché são as pontes resposáveis para atravessar o le Petit bras (o “braço pequeno”) na rive gauche.

Petit Pont. E um pequeno pedaço do prédio da Préfecture de Police

Foto tirada da Pont Saint-Michel. Ok, quem a tirou foi o mon amour, mas usando uma das minhas câmeras. Logo, a foto é minha, não?XD

Enfim, le pont Saint-Louis é a única que providencia acesso entre l’Île de la Cité e – adivinhem só – l’Île de Saint-Louis.

Pont Saint-Louis, em direção da ilha de mesmo nome.

Essa ponte é famosa por sua população estranha… digo, os seus artistas de rua “únicos”. É um ponto um tanto quanto disputado por essa população durante o dia e a noite, principalmente durante o verão. Portanto, se quiserem ver alguns artistas de rua criativos e diferentes, comparados aos outros espalhados pela cidade, esse é um dos pontos :)

O que tem de tão importante na ilha menorzinha, afinal? Bem, não muito mais além de grandes e históricos hotéis particulares (como o famoso Hôtel Lambert), além de outras pequenas igrejas e capelas – e, ah!, tem o café que eu mais frequento, le Flore en l’ile , com uma Tarte Tatin (torta de maçã) e um chocolat-chaud à l’ancienne (chocolate ao leite derretido, em que misturamos com mais leite, formando um belo chocolate quente) muito gostosos, e os Profiteroles favoritos do mon amour :). O sorvete artesanal dali também é o mais famoso da cidade, e forma até fila do lado de fora, todos os dias.

Os tais dos Profiteroles, e os braços “dele”, cruzados, porque já não estava mais aguentando esperar eu tirar a foto. Faz parte.

Minha amiga Bel Kwon, outra fotógrafa que conheci via Flickr, estava em Londres estudando e decidiu passar o feriado do 14 Juillet (Dia da Queda da Bastilha, lembram disso?) conosco :) É claro que não podíamos deixar de dividir as coisas mais gostosas com ela! ^_^

Amiga de infância e artista, a xuxu da Gabi Schembeck também foi “arrastada” pra tomar o tal do chocolate chaud à l’ancienne, durante sua primeira visita à capital francesa, no último inverno.

Podemos chegar na pequena ilha também por muitas outras pontes:  le pont de la Tournelle (rive gauche), le pont Louis-Philippe e le pont Marie (ambas pela rive droite) e ainda le pont Sully (ambos acessos pela rive droite e rive gauche)

Além de abrigar ilhas tão históricas, o Sena tem uma outra função muito importante: ele divide Paris em duas rives (ahá! Eu disse que ia explicar isso!) ou seja, margens: La rive droite, a região norte, que é duas vezes maior do que la rive gauche, ao sul.  Essas rives são tão importantes que estão até listadas como patrimônio mundial pela UNESCO!

Então, são elas diferentes? O que se encontram nessas rives?

Acredite ou não, essas rives se distinguem muito uma da outra. Elas são tão importantes que acabam definindo até mesmo o estilo de vida e opinião política de muitos da população: A rive droite é caracterizada por ser o lado chic e conservador, enquanto a rive gauche é o lado mais artístico e liberal.

As duas rives. Conseguem diferenciar/adivinhar qual que é a gauche, qual que é a droite? :P

Além disso, Paris também é dividida em arrondissements: são exatos 20 departamentos administrativos que dividem a cidade em forma de uma espiral desde o século XVIII. Dentro de cada um desses arrondissements, existem quatro dos chamados quartiers. Complicado? Parece, mas nem tanto. Deixa eu dar um exemplo: O primeiro arrondissement começa no coração  do centro histórico da cidade, fica do lado da rive gauche, onde se localizam le Palais de la Justice, Forum des Halles, a Saint-Chapelle, Palais du Louvre, Jardin des Tuileries… e, dentro deste arrondissement, se encontram quatro quartiers: Quartier Saint-Germain-l’Auxerrois (1er quartier de Paris) Quartier des Halles (2e quartier de Paris) Quartier du Palais-Royal (3e quartier de Paris) Quartier de la Place-Vendôme (4e quartier de Paris), dos quais, junto com outros, falarei nos próximos posts ;)

Para terminar, uma foto tirada da Pont de la Tournelle, com a île de la Cité/Notre-Dame ao fundo.

 à la prochaine, tout le monde! ;) 

24 Comentários + Comentários pelo Facebook
Post Anterior
agosto 16, 2012
Próximo post
agosto 16, 2012
  • Bruna

    que post lindo!!! adorei!!! fiquei encantada com a última foto. :D

    só uma coisinha: não seria “Palais de la Justice”?

    Bjks

    • G. Clara

      Oh, obrigada xuxu! Isso acontece quando se trabalha com traduções do Francês canadense! haha :)

  • Kathyane Pacheco Alcântara

    Adorei o blo, convido vcs a conhecerem o meu.

    http://modaestiloeafins.blogspot.com

  • marta martinho

    Adorei um post diferente, contando a história e a geografia de Paris. Fiquei com maaaaaaais vontade ainda de conhecer!
    Lindo demais!
    Amei as fotos! =)

  • Maynara Nogueira

    Que linnnnnnnndo! Eu também gostaria de saber porque ainda não inventaram o teletransporte, porque né…
    Ah e o blog tá cada vez melhor, fofíssimo, encantador… ♥♥

  • Aline

    Oi, Clara!
    Você estuda aí?
    Quem vai para Paris sem ser para estudar e tiver interesse em ficar morando aí por um ano mais ou menos, é complicado?
    Obrigada!
    Ótimo post! Beijos.

    • G. Clara

      Sem estudar e sem trabalhar? Bom, digamos que é quase impossivel conseguir fazer isso so estando parado por aqui. Se você possui um passaporte brasileiro, você precisa de um visto, e pra conseguir esse visto, você precisa justificar, seja a trabalho ou a estudos.
      E obrigada!

      • Aline

        Se eu fosse, teria intenção de trabalhar, claro. Mesmo que fosse um trabalho mais “simples”, o que vale é a experiência em outro país. Mas o problema é como chegar aí sem o trabalho e ficar.
        Obrigada pela resposta!

  • Tui

    Paris é linda, cheguei ontem de lá e já estou com saudades!

  • Larissa

    Adorei o post, muito bem feito e fugiu do clichê “Torre Eiffel” mostrando uma Paris diferente (que só serviu pra aumentar minha vontade de conhece-la.

  • Zezinha Souza

    Gi, querida, fiquei ainda com mais vontade de conhecer Paris e de passear por cada um desses cantinho com a MeL tendo você é a Rosana Reis como guias…..a gente ia, aliás, vai se divertir muito, viu?! Tá nos planos, tudo bem que ainda sem data mas é uma coisa que a gente sonha e quer que aconteça e está torcendo muito para que dê certo!!!!!

    Adorei o post, cada detalhezinho, as fotos..saber das delícias do le Flore en l’ile e de ver a sua foto linda e divertida “Eu, voando na frente de Notre-Dame”… ri bastante!

    Enfim, seus posts me encantam e não é de hoje que te considero a “embaixadora do mundo” mais fofa e querida que existe!!!!! ❤

    Beijinhos no coração e parabéns pelo empenho de nos mostrar as maravilhas que você vai descobrindo enquanto viaja!

  • Débora Chrissanto

    Eu quero muito ir pra Paris, mas acabei de descobrir tantas coisas que eu nem imaginava! Você poderia fazer um post falando (além dos passeios e lugares que sao menos visitados pelos turistas) de aspectos gerais, tipo o clima, como os franceses sao com estrangeiros, os bons lugares de compras, essas coisas. Adorei seu post e as fotos, e quando (um dia) eu for pra Paris vou querer você de guia, além do picnic. hahhha.
    x.o.x.o

  • Bruna

    Nossa, quanto nome esquisito, tive que me desdobrar no meu “francês embromê” aqui pra ver se conseguia falar kkkkkkkk Acho que eu me perderia fácil, fácil andando por lá 8D
    Mas as fotos, ah, as fotos, são lindas lindas lindas, especialmente a que o seu amour tirou *–*

  • Flávia

    Clara, podemos marcar o piquenique agora?! rsrsrs Estou de mudança para a Espanha em setembro e com planos seríssimos de ir pra Paris em novembro assistir o show do Florence and the Machine dia 27… Então, vou pra passar o fim de semana, a segunda e a terça. É sempre bom ter dicar de lugares para visitar e coisas imperdíveis em uma cidade como Paris. Algo além do muito óbvio como a torre, o arco, a champs… Sempre tive uma queda do antigo world trade center por Paris e finalmente vou poder conhecê-la…
    É isso, me deixa saber se seus serviços de guia estarão disponíveis na época, pq estarei indo sozinha! rsrsrs
    Beijo

  • Brizza Martins

    nuuuus, que lindo! quero muito conhecer Paris, é um sonho, uma meta.
    – eighteensoon.blogspot.com.br !

  • Alessandra

    Clara, adorei o post! Amei conhecer um pouco a mais sobre o centro da cidade!!! ♥ Acabei ficando com mais vontade de conhecer… Ai, ai! Hahaha!

    Estou ansiosa pelo próximo post!
    Beijos! ;**

  • Adriana

    Adorei o post!!! Bom conhecer um pouquinho mais de Paris, dá mais vontade de ir lá visitar :)

  • Lohraine Alves

    Oi Mel’
    rssrsrs’ sabia que quando eu tiver uma filha o nome dela vai ser Melina?!Que lindo, agora que me liguei que seu nome é Melina, só te chamava de Mel mesmo.

    Ta agora falando sobre o post, nosssa menina que coisa mais linda é Paris néah? rs’ Achei o post super diferente, adorei, nunca vi algo do tipo em outros blogues, e olha que eu ando em muitos em. rsrs’ agora estou mais morta de vontade, pra conhecer Paris. Amei as fotos, tudo ficou muito lindo. Parabéns.

    Beijinhos, Lôh Alves*

    http://www.essenciapink.wordpress.com

    • Melina

      Sério? Que legal que sua filha vais e chamar Melina :D

      Fico feliz em saber que gostou do post! A Clara tira fotos lindas e tem ótimas dicas pra compartilhar (além de ser um amor de pessoa) ˆˆ

      :*

  • Lívia

    Clara, muito bom o seu post! Je l’ai adoré!! ^^
    Muita coisa que vc disse nem no meu curso eu aprendi. Mas quem sabe é quem vai mesmo né?
    Espero ansiosa pelos próximos posts!
    À bientôt!!! :)

  • Déborah

    Amei o estilo das suas fotos.

  • Camila Gerarde

    Post super interessante, é sempre bom conhecer mais sobre um país tão lindo e as fotos te transportam para Paris *-* amei!

    Beijos

  • Edna

    Muito obrigada pelo post, vc nem sabe o quanto foi útil! Bjos e quero ver o proxímo!

Deixe seu comentário

Instagram

  • acabei de liberar o vlog da semana no canal mel in wonderland 🖤✨ estou esperando vocês por lá ☺️
  • os garotos do @estudiograma vieram colocar minha cabeceira hoje 🖤 (arrasta pra foto do lado pra conhecer eles!) ✌🏻 desde criança sempre achei lindo camas com cabeceiras, mas essa é a primeira vez que tenho uma. ah, um recado muito importante: eles que fizeram a minha escrivaninha maravilhosa e nesse exato momento estão com uma disponível para pronta-entrega então caso alguém aí tenha interesse é só falar com eles pelo @estudiograma ou pelo site 😉 ah, a preferência é pra quem for de Curitiba ou redondezas. (mais um móvel testado e aprovado pelo @spock_inwonderland 🖖🏻👽)
  • acabei de liberar um post novo no blog compartilhando uma serendipidade que aconteceu comigo hoje e que tem a ver com esse livro da encantadora @doddleoddle 🖤✨ #dodieclark #dodieclarkbook #secretforthemad #secretforthemadbook
  • uma cena do vlog que postei semana passada no canal mel in wonderland 🖤 quem aí também ama chihiro? 😍 #chihiro #totoro #ghibli
  • acabei de liberar no canal um vídeo apresentando minha nova estante desenvolvida pelas garotas incríveis do @varandaarquitetura 🖤 tô esperando vocês por lá 😍 #bookshelf
  • eu tô muito feliz com os comentários que vocês estão fazendo nos ~dois~ posts que liberei ontem no blog 🖤 sério, vou responder todos com calma mais tarde ✨ obrigada por todo carinho e apoio que vocês me dão ☺️ é bom demais saber que vocês estão gostando de acompanhar o blog 🖤

instagram