Inspiration

2 de abril: dia mundial de conscientização sobre o autismo

2.04.2013

Pra quem não sabe, dia 2 de abril é o dia mundial de conscientização do autismo. Queria ter preparado um post especial, mas com a correria não consegui estudar como queria/planejava para escrever bem e de forma acessível sobre o que é o autismo. Eu já trabalhei (me encantei) com crianças e adolescentes autistas, apresentei trabalhos na faculdade, estudei, mas na hora de escrever sobre o assunto – principalmente em um meio que não é acadêmico como o blog – é sempre complicado.

Embora não tenha conseguido fazer um post falando sobre o autismo, resolvi fazer uma pequena homenagem a esse dia tão especial onde todos devemos usar o azul. Como não sai de casa, peguei alguns objetos azuis do meu quarto para fotografar:

(Spock queria participar também)

 

Ah, não apareceu nas fotos, mas além das unhas azuis eu estou com shorts jeans/azul e já voltei a usar a minha blusa azul (coloquei a creme em duas fotos pra destacar o azul dos objetos já que o quarto já é azul).

Como pretendo fazer um post falando sobre o autismo gostaria de saber quais são as dúvidas de vocês sobre o assunto ;)

Sabe o que deixaria esse post mais bonito? Depoimentos de vocês nos comentários contando sobre experiências de vocês com pessoas diagnosticadas com autismo. O que acham?

Obrigada por tudo, pessoal!

xoxo

ps: quem aí usou azul hoje?

Por

Melina

  1. Amanda Teixeira says:

    Gostei do post!
    Esse livro ‘Nascido em um dia azul’ é bom?

    Fiz faculdade de jornalismo com um colega autista, ele sempre foi muito admirado por fazer comunicação social, coisa que acredito que poucos autistas fariam.
    Mas ele era o mais inteligente e carinhoso da sala. =)

  2. hayley says:

    oi mels, que maravilha!, na verdade nem é uma duvida,mas gostaria de pedir mais dicas de livros sobre o assunto como pretendo estudar psicologia gostaria de ter esse contato,nossa amei a iniciativa!

  3. Gabriela says:

    Adorei essa postagem.
    As fotos estão maravilhosas!

  4. Oi Mel, eu estudei no ensino médio com um garoto, parando pra pensar eu nunca escutei alguém confirmando ou não se ele era autista, mas acredito que pelas características dele sim. Ele era bem reservado, nunca puxava assunto com ninguém, se ficávamos livres de atividades na sala enquanto todos conversanvam ele permanecia na cadeira sempre na frente da sala e quieto, observava que fazia movimentos com dedos dando a entender que sabia tocar violão e isso ele sabia mesmo(só não tive oportunidade de ver/ouvir) porque ouvi falar que pessoas com autismo pode ter essa sensibilidade auditiva.. O resto da turma estudou com ele com mais tempo, todos nós tinhamos respeito e o tempo que estudei com ele nunca presenciei algum caso de bullying. Fazíamos brincadeiras, mas coisas simples com intenção de incluir no grupo, não de excluir. Geralmente quando falávamos com ele com algum comentário ele só fazia rir, evitava a fala e também olhar nos olhos das outras pessoas. Ah ele sempre foi um dos melhores alunos da turma.

    É isso Mel, escrevi muito hihi
    Esperando pelo post, quero saber mais sobre o assunto ;)
    Bjos

  5. Jéssica Guimarães says:

    Amei a sua homenagem neste dia tão especial. Eu não sabia que tinha o dia do autismo e nem sabia que deveria usar azul neste dia! Sua homenagem foi sensacional, Mel!

  6. Não conheço, pessoalmente, ninguém. Mas uma das minhas amigas de faculdade tem um irmão com autismo, ela já me contou histórias realmente emocionantes de tudo que ela aprendeu graças ao irmão, e claro o que ele trouxe para a família. Achei linda a sua iniciativa, Mel! (:

  7. Alice says:

    Oi Mel(ina),
    pena que você postou tarde! Se soubesse eu teria ido de azul para a escola e teria sido especialmente gentil (não que eu não seja) com o Matheus – que é um menino da minha sala que tem autismo.
    Essa causa é uma que nós temos em comum. Algumas pessoas da minha escola abusam da ingenuidade dele (não é um absurdo?!?), mas sempre que eu posso dou um toque nessas pessoas e ajudo ele. Fico feliz que tenha um dia dedicado a essa causa e a essas pessoas! (:

  8. Usei azul hoje sem saber :O
    Lindo este post! =*

  9. Mel, tudo bem? Gostaria de te parabenizar por esse gênero de post. Conheci em 2010 um garotinho que tinha autismo e ele parecia ser extremamente carente. Só depois dessa convivência com ele comecei a entender um pouco mais sobre o mundinho deles e como tudo é. Porém uma coisa muito triste aconteceu: descobri no ano passado que o pai (que apesar de ser casado com a mãe) mantinha relação com um homem e eles abusaram dos dois filhos que o casal tinha. Foi um choque! Eu só ficava me lembrando do quanto ele queria o chaveiro coloridinho que minha mãe tem e o pai escondia dele. Coração apertou em escrever sobre isso :( Beijão! ps: usei azul escuro na jaqueta hoje!

  10. Barbara says:

    Oi Mel! Eu gostaria de saber como lidar no primeiro contato com um autista. Eu me sinto perdida e acho que acabo não dando atenção a pessoa.

  11. Mari says:

    Olá, Mel! Eu conheci o blog há pouco tempo e já me apaixonei! Tenho exatamente o mesmo gosto literário que o seu, e temos muitos livros preferidos em comum! :) Conheci o blog através de sua ótima resenha sobre Anna e o Beijo Francês, que é um dos meus livros preferidos de todos os tempos! <3
    Bom, eu não tenho muita experiência com crianças altistas. Mas tenho um primo chamado Kevin, que mora em Indiana, nos EUA, que é altista. Ele tem dez anos, e só o vi umas duas vezes, portanto não lembro muito bem dele. Porém, neste Natal, ele me ligou me desejando boas festas, foi muito fofo! Nunca vou me esquecer daquela voz um pouco distante vinda do outro lado do mundo: Merry Christmas, Mari! And a happy new year. Bom, é isso! Mel, só mais uma coisa: Estou pensando em ler o livro A Culpa é das Estrelas. Já li sua resenha e parece ser mesmo muito interessante, mas é drepê? No momento pretendia ler livros mais alto-astral hahaha então estou um pouco em dúvida se devo ou não ler esse livro do John Green. Obrigada!! Beijos

    • Melina says:

      Obrigada por compartilhar, chuchu <3

      Fico feliz em saber que gosta do meu trabalho com o blog :) Bom se você está em uma fase que precisa ler livros mais felizes eu não recomendo a leitura de A culpa é das estrelas :x acho mais interessante ler livros de escritores como Sophie Kinsella, Meg Cabot, Paula Pimenta...
      :*

  12. Post muito fofo, pin….adorei ver tudo azul por aqui e quero muito que você faça um belo post sobre Autismo. Quero, sim, e pra ontem!!!!!!

    Sim, e hoje eu vesti AZUL desde de manhã!!!!….é o mínimo que poderia fazer para dar uma pequenina contribuição num dia como hoje, mostrar que me importo, que é importante que haja uma concientização cada vez maior por parte de todos.

    Beijinhos no coração

  13. Anna says:

    Meel, adorei a sua ideia de fazer um post sobre autismo mesmo mesmo. Eu acho que você deveria fazer mais posts sobre psicologia e tudo o que isso envolve porque é incrível, mas enfim.
    Tem um post em um blog da Super Interessante que eu achei super legal e que você deveria ver. É sobre uma autista que com a ajuda dos pais publicou um livro sobre o autismo e montou um site onde ela responde perguntas, publica vídeos e tenta passar informações pra que o leitor consiga entender como uma pessoa com autismo ve o mundo.
    Bom, melhor passar o link de uma vez pra você entender bem: http://super.abril.com.br/blogs/como-pessoas-funcionam/entenda-e-experimente-como-funciona-a-mente-de-um-autista-com-a-ajuda-de-uma-adolescente-que-sofre-dessa-condicao/
    Espero que seja útil e você goste como eu gostei.
    Hasta

  14. Maria de Fátima Menezes says:

    Nossa, Mel, que legal esse seu post! Só fez com que eu passasse a admirar ainda mais você como pessoa e, claro, como blogueira. Pouquíssimos blogs, assim como seu, dariam ou até mesmo, cederiam um espaço a esse importante assunto que é o autismo. Você mostrou que tem sensibilidade às causas alheias e que realmente se importa com o próximo. Minha mãe trabalha com crianças autistas. Não só com autistas, mas com todos os tipos de crianças excepcionais. Já tive a oportunidade de ir ao trabalho, com ela, e foi uma experiência muito boa. As crianças são adoráveis! Muito mais do que as crianças “normais”. São crianças especiais que nos fazem sentir especiais. Parabéns pelo post e que você continue sendo essa menina blogueira maravilhosa!! I <3 Series of Serendipity :D

    • Melina says:

      Nossa, muito obrigada, chuchu <3
      Eu queria dedicar mais espaço no blog para assuntos como esse (aliás, ainda farei isso).
      Trabalhei durante um ano em uma escola de educação especial e foi um dos anos em que eu mais aprendi na minha vida <3 essas crianças são incríveis!
      Fiquei feliz em saber do trabalho da sua mãe :)
      :*

  15. Mah says:

    Mel, eu acho o autismo muito interessante, eu tava fuçando um pouco e achei essa menina,Carly Fleischmann, ela é autista, a história dela é muito legal, um dia ela correu até o computador de sua casa e digitou DOR e AJUDA e correu para vomitar no banheiro, mas ela supostamente nunca tinha aprendido a escrever. A família ficou impressionada, e desde então Carly escreve em redes sociais como é sua vida, e então foi desenvolvido um “jogo” chamado Carly’s Cafe, no qual você vê as coisas do ponto de vista dela.
    o link da matéria:http://super.abril.com.br/blogs/como-pessoas-funcionam/tag/autismo/
    o link do Carly’s Cafe:http://www.carlyscafe.com/
    o link do site dela:http://carlysvoice.com/

  16. Sayonara says:

    Fiquei sabendo que hoje é o dia mundial da conscientização do autismo através das redes sociais. Eu não conheço ninguém diagnosticado com autismo, porém sempre tive curiosidade de saber do que realmente se trata. Parabéns, Mel. Gosto muito dos seus post mais sérios e vou adorar ver o que você tem a dizer sobre o assunto.

  17. Daniela says:

    Mel!
    Que post mais lindo!
    Adorei que esse dia tão especial não tenha passado despercebido por você.
    Eu trabalho no setor administrativo de uma ONG para pessoas com deficiência e atendemos muitos casos de pessoas com autismo.

    Assim como você, também posso dizer que é um assunto “complicado” de se falar, mas não menos importante.
    Todos as crianças, jovens e adultos que a ONG onde eu trabalho atende sempre tem um retorno muito positivo quando se faz um trabalho bem feito.

    Fico muito orgulhosa de fazer parte dessa família há 3 anos e que marca presença em 14 estados brasileiros (inclusive em todos os estados aí do Sul *.*).

    No mais, as fotos ficaram lindas. Como sempre!

    Bjinhos

  18. Flávia says:

    Amei a última foto, ficou muuuito amor!
    Nunca tive contato com pessoas autistas e não entendo muito do assunto e adoraria ler algo sobre aqui :)
    Btw, usei azul hoje!

  19. Lúcia says:

    Que homenagem bonita Mel..

    Não sabia dessa data e nunca tive uma experiencia com pessoas diagnosticadas com autismo.

    Mas como eu descobri a tempo, e não tenho nenhuma experiência pra contar, resolvi fazer um tipo de homenagem.
    Vou te mandar no email de contato agora mesmo, um layout eu fiz para esse dia.
    Vou colocar o assunto do post no assunto do email pra você saber.

    Beijinhos :D

  20. Lúcia says:

    Me empolguei e acabei enviando 2 :p

    Espero que goste e que compense a minha não história, haha

  21. Jane Tavares says:

    Muito bom o post Mel. Não sabia muito sobre autistas, depois de ler seu post procurei saber, inclusive sobre a cor azul :)

  22. Jess says:

    Que fofa você querer escrever mais afundo sobre o assunto, MeL.
    Eu tenho dois primos que são autistas (eles são irmãos). No começo foi muito dificil, tanto para nós da família quanto para eles, mas hoje eles já estão grandes e cada dia mais lindos e espertos (estão com 6 e 5 anos)são sem dúvidas, a nossa maior alegria ♥

    Suas fotos ficaram um amor, azul é minha cor favorita…

    Beijos

  23. Taís says:

    Já conheci uma criança autista e até pesquisei um pouco sobre o assunto mas tenho um pouco de dúvida em como conseguimos uma aproximação/interação conosco ?? Desde já grata !!

  24. Juliana says:

    Mel, que lindo, sabia pouco, ou quase nada sobre o autismo até ver o video https://www.youtube.com/watch?v=KP2I7plI5AU sobre a incrível Carly, me interessei tanto pelo assunto que meu projeto desse semestre de arquitetura é especialmente criar um ambiente familiar para uma jovem autista, as informações na internet sobre ambientes são poucas, gostaria que você contasse p gente o que autistas gostam, o que os incomodam, como faze-los se sentirem confortáveis, iguais a todos na sociedade

    Parabéns pelo blog, é lindo, um encanto

  25. kél says:

    Oi Melina(sempre linda!), acho que já contei aqui que sou professora de Arte , trabalho no município de Bertioga-SP. Tenho cerca de 400 alunos,mais de 30 casos de inclusão, e entre eles 8 são autistas.Eu sempre estou buscando novas técnicas e materiais. Acredito que a melhor forma deles se expressarem seja através da arte(somente 3 dos meus alunos falam de maneira clara e são alfabetizados).Durante as minhas aulas, eu separo um tempo para me sentar com eles e aplicar uma atividade especialmente elaborada,que pode ser música, uma história com manipulação de bonecos, pintura, areia da lua,um jogo de cores,carimbos de texturas…as outras crianças as vezes acham tão legal que querem fazer também!(esse é lado bom da inclusão nas escolas).
    Entrar no mundo deles, nem que seja por alguns minutos é muito encantador.Eu amo muito meus alunos!Eu fico muito feliz quando eles me abraçam quando me encontram no pátio da escola.
    Um beijo azul pra vc!

  26. Mariana says:

    Mel , eu queria saber como eu identifico um autista
    obrigada (:

  27. Luiza Brando says:

    ih, hoje eu usei azul sem querer! fiquei feliz por ter participado da causa sem saber :)

  28. Anna Luiza says:

    Adorei a sua ideia, Mel, de falar sobre o autismo. Eu não tenho muita informação sobre esse assunto (muito menos sabia que hoje era o dia mundial de conscientização sobre o autismo), mas já li um livro – Querido John – em que um personagem era autista. Como o assunto não foi abordado de verdade não sei muita coisa, então acho muito legal você fazer um post falando como é, os primeiros sinais que a gente percebe, como é o tratamento, e acho interessante falar também da vida de algumas pessoas, pra gente saber mesmo como é.
    Ah, e hoje eu fui para a escola de azul sem nem saber! ha
    Spock é um amor querendo participar da conscientização ♥

  29. Izabela says:

    Oi, Mel! Tudo bem? Poxa, não sabia que hoje é dia mundial de conscientização do autismo! Fico muito feliz em saber e ainda mais curiosa para ler o livro que você segura na foto que abre o post :)Me interesso pelo assunto mas sei muito pouco a respeito :/
    Você conhece o seriado Touch?

    Beijo!

  30. Am says:

    Ah, pena que eu não sabia que o dia 2 significava tudo isso, mas ironicamente usei azul (amo essa cor! haha)
    Eu conheço dois autistas, um é filhinho de uma amiga da minha mãe, ele é extremamente carinhoso e fofo! E o outro é o menino do caixa da padaria que fica do lado da minha casa, ele faz as somas todas de cabeça e sempre acerta tudo!!!
    Ah, eu tenho uma dúvida sobre o assunto: já ouvi diversas vezes comentarem que o autismo tem diversos níveis, como exatamente é isso?
    Beijos, flor <3

  31. Sarah Zinato says:

    Aah,que legal você fazer um post sobre autismo, Mel! Com a correria do dia eu acabei nem postando muita coisa sobre o assunto no meu face e nem no blog que eu posto de vez em quase nunca (haha). Bom, eu estudo Psicologia e sempre me ofereço para acompanhar algum profissional que trabalhe com algo que me interessa e recentemente eu acompanhei um dia de aula de uma pegagoga da APAE, ela dá aulas para duas crianças autistas na faixa do 6 anos de idade. Eu me ofereci para acompanhar porque estava para começar um acompanhamento escolar de um garotinho autista (que nem chegou a acontecer. Buá. :( Mas eu ainda não desisti) e como queria estar preparada quando o dia chegasse eu comecei a ler tudo sobre autismo na internet, então percebi que ler não era suficiente, eu precisava do contato, eu precisava conhecer a realidade de um autista e lá fui eu me enfiar na APAE. Bom, o que tenho a dizer sobre a experiência? Eu me apaixonei pelos garotos!! Um já estava aprendendo a ler, falando, mais desenvolvido e o outro estava recente na APAE, então não falava, não conhecia as letras ainda, a pedagoga me mostrou todo o material com que ela trabalhava, me deu dicas, foi um amor! E o que me deixou mais contente e radiante por todo o dia foi que um dos meninos me abraçou e segurou minha mão depois de um tempo que eu já estava na sala. Obviamente ele tem um nível mais baixo de autismo, mas mesmo assim foi tão inesperado que me deixou emocionada! Me encantei pelas crianças autistas, elas são realmente muito especiais!

    Bom, esse foi o relato da minha experiência com autistas (e espero que venham muitas pela frente). Não era para ter ficado tão grande, mas é que seu post me trouxe tantas lembranças boas que me empolguei. Haha ;)

  32. Lívia says:

    Minha maior dúvida/preocupação, não só com autistas mas também com pessoas com outros tipos de deficiências é: como me aproximar, começar a interagir, respeitando as suas limitações mas sem deixar passar uma impressão de que eu to tratando ele ou ela diferente, sabe? Nunca conheci um autista, mas sempre fico embaraçosa nessa situação… não sei direito como agir…

    ;*

  33. Fernanda says:

    Oi, Mel!

    Adorei o seu post, me interesso muito pelo assunto e faço psicologia estou no sexto semestre, alguns semestres atrás eu fiz um trabalho sobre diagnóstico do autismo em diversas regiões do país, foi bem interessante pena que eu não pude aplicar o questionário que tinha montado :x

    Beijooos :DD

  34. Priscila says:

    O, Mel! Muito digno abordar esse assunto no blog!
    Nunca tive contato direto com autistas, mas me interesso pelo assunto e tenho várias dúvidas.
    Qual o limite entre autismo/síndrome de asperger/timidez? É fácil identificar um autista em qualquer caso? Resumindo… uma pessoa pode ter autismo, num grau mais “leve”, sem nem perceber?

    Desculpa ficar te bombardeado, nem sei se você pretende fazer um post informativo ou um relato mais pessoal sobre sua experiência. Mas… você que perguntou XD huhaushaushau

  35. Thaís says:

    Descobri o livro Memórias De Um Amigo Imaginário, parece ser interessante, Mel :)

  36. Alessandra says:

    Mel, eu sei que o foco do blog não é esse, mas gosto de ver posts assim de vez em quando por aqui! Não tenho nenhuma experiência com autistas, mas tenho uma dúvida: como as pessoas podem ajudar uma pessoa assim? Como devemos agir? Sei que elas têm limitações e certas coisas que pra nós são banais podem representar outra coisa para elas.
    Ah, usei azul sem nem saber do dia… Mas nós próximos anos já poderei dar mais atenção para esse dia :3

  37. Rafaela says:

    Meu sonho é fazer psicologia e poder ajudar crianças não só com autismo mas também com outras deficiências, pois acredito que as crianças são o futuro da nação ♥
    Minha duvida é meio boba,mas nunca soube o porque do azul ser a cor “representante” nesse dia?
    Beijos Mel ♥

  38. Sol says:

    Mel, parabéns pela iniciativa!!

    Pra ajudar, vai a dica de três filmes ótimos sobre o assunto: Rain Man (Dustin Hoffman arrasa!!), Uma viagem inesperada (história verídica sobre como uma mãe ajuda seus gêmeos autistas) e Temple Grandin (tb verídico sobre uma autista que é PhD em Zoologia. Tem outrso ótimos tb, mas daí a lista ficaria muito grande!! XD

  39. Oi Mel,

    gostei muito do post, queria saber porque a cor azul! hauhauha

    Vou contar uma situação, porque minha experiência com autismo é enorme, uma vez que meu irmão mais novo é autista!

    Hoje meu irmão tem 19 anos e a uns 3 anos atrás nós fomos na Disney, ele fala poucas coisas, como comida que ele quer, ou passear e é muito carinhoso. Mas como ia contando nós fomos na universal e tem um brinquedo dos Monstros S/A, e logo na saída você pode tirar foto com o Sullivan e Mike. Nós estavamos esperando e quando o Sullivan apareceu meu irmão partiu para abraçar ele de uma maneira tão inocente, tão bonita, ele ria de mais olhava para os dois ria abraçava, e acho que foi uma das situações que mais me marcou porque era uma felicidade tão pura, ver ele daquele jeito era muito bonito! Me emocionou muito e acho que todos que estavam em volta também.

    Acho que para a família tem hora que é muito difícil, principalmente em horas de crise, mas é sempre muito recompensador o carinho, ver a evolução da pessoa, a interação principalmente!

    Uma fotinho dele passeando na lagoa!

    http://www.actlikee.blogspot.com.br/2013/01/meu-irmao-mais-que-especial.html

    Beijos

  40. Andrea says:

    Eu namoro um rapaz com síndrome de Asperger. =) É bem menos comprometido que o autista padrão, mas tá lá no espectro. Ele é muito doce, muito carinhoso e dedicado. Às vezes é difícil, porque a maioria do que nos parece óbvio pra ele não é e vice versa. Aí tem alguns surtos e às vezes ele me pergunta coisas como “de que forma as pessoas esperam que eu aja na situação tal?” ou “quando que é esperado que eu diga ‘obrigado’? E ‘de nada’, nunca entendi o ‘de nada'”. É um aprendizado enorme, pra todo mundo.

  41. Luiza Neves says:

    eu tenho um vizinho com autismo, ele demorou pra ser diagnosticado e a falta de informação, principalmente entre as outras crianças, gerou um monte de fofoca e comentários infelizes antes disso, mas hoje em dia a comunicação dele está bem melhor e as pessoas sabem mais sobre a doença dele.

    eu conheci uma guru no youtube pra cabelos cacheados, a Taren Guy, que lançou o site Faces of Autism (http://www.forfacesofautism.org/), ela tem dois filhos com autismo e criou o site pra conscientizar as pessoas sobre como é o mundo para os autistas.

    tem também o avô que desenvolveu um navegador de internet especial quando viu o quanto o neto ficava frustrado diante do excesso de opções dos sites comuns (http://usatoday30.usatoday.com/tech/webguide/internetlife/2008-06-03-grandfather-zac-browser_N.htm), mas eu não cheguei a ver como ele funciona, só lembro de ter visto na faculdade.

    adorei esse post, beijos!

  42. larissa says:

    Oi! o post ficou lindo,como sempre (:
    não sei se voce já leu essa matéria, eu achei muito interessante!: http://www.hypeness.com.br/2013/02/menina-revela-pela-primeira-vez-como-e-estar-por-tras-dos-olhos-de-um-autista/

  43. Luciana says:

    Eu tenho uma coberta igual a sua, Mel *-*

  44. cecília says:

    Meu irmão é autista, ele é muito carinhoso, gosta muito de ler e é a pessoa mais inteligente que eu já conheci (e eu não falo isso só porque é meu irmão). As vezes eu não consigo aceitar o fato dele agir e pensar tão diferente das outras pessoas, mas apesar de tudo eu o admiro muito. Adorei o post e as fotos! :D

  45. Sarah Zinato says:

    Lívia, eu tinha essa mesma dúvida, mas depois com a experiência eu percebi que com autistas você não precisa fazer nada grandioso para se aproximar, basta você estar presente, tentar se comunicar de forma despretenciosa, ser carinhosa e não ficar seguindo e cercando ele de cuidados. Com o tempo, a medida que o autista se acostuma com sua presença, ele vai se aproximando de você. É um processo bem natural, então quando tiver contato com um, não precisa se preocupar muito em como agir, acho que o principal mesmo é não tentar forçar uma aproximação. ;)

  46. Estudei um ano inteiro sobre o Autismo… E, como qualquer assunto sobre isso me sensibiliza fiz um post sobre o tema no meu blog (http://kellyschuebel.blogspot.com.br/2013/04/02-de-abril-dia-mundial-da.html)

    Mel, você não se importa se eu publicar o meu post, né?

    ps: qualquer coisa me avisa rs

  47. Luana Gabardo says:

    Nunca conheci nenhum autista, mas tem um livro, “Memórias de um Amigo Imaginário”, um dos mais lindos e fofos que já li, que o ‘dono’ do amigo imaginário é autista, e é muito lindo como o amigo imaginário narra que seu amigo real é o mais forte que ele conhece *U*

  48. camila says:

    Mel,não pude deixar de notar ali um box de “Once Upon a Time” vc também acompanha e gosta? Sempre achei que vc tivesse saído de um conto de fadas…

  49. Samantha says:

    Adorei, Mel! passei o dia ontem toda de azul também :D Tenho um priminho que tem síndrome de Asperger, e os pais dele junto com outros pais criaram uma associação aqui em Brasília chamada Abraci (http://abracidf.blogspot.com.br/) para outras crianças que sofrem do autismo. Lá tem atendimento de psicólogos, trabalhos de conscientização e outras coisas. Enfim, só queria contar mesmo e dizer que adorei sua iniciativa de postar sobre isso, porque infelizmente não é um dia muito reconhecido.
    Beijos :)

    http://talkingboutlove.wordpress.com/

  50. Amanda Leite says:

    Oi Mel.
    Eu tenho um irmão de 3 anos que é autista, ele foi diagnosticado com 1 ano de idade, no começo eu nem sabia o que era autismo,ai me joguei de cara em pesquisas sobre o assunto, no começo fiquei assustada pensando “Será que ele vai ser uma criança/pessoa excluída? Será que ele vai ter muitos problemas” mas com o tempo eu (e a minha família) começamos a ter mais otimismo que ele vai viver como qualquer pessoa (claro que vai :))
    Ele ainda não sabe falar (só alguns sons que parecem com mãe e pai, e também sabe falar gol kkk), ele adora ouvir musicas (na verdade assistir clipes, se ele estiver estressado é só colocar clipe da Taylor Swift e dos Beatles que ele se acalma). Eu ainda não presenciei preconceitos com ele ou com outros autistas (e espero que não haja, mas como muitas pessoas são más ou não conseguem entender as coisas, é meio dificil,né)
    Vou parar por aqui que esse post vai ficar enorme.
    xoxo

  51. Que linda a sua atitude Mel, eu não sabia da data se soubesse teria usado azul :)
    Não conheço ninguém autista, pelo menos que eu saiba e adoraria ver o post sobre o assunto.
    Beijos azuis para você :)

  52. Khauanna says:

    Olá Mel :) amei o post e gostaria de deixar um breve relato meu aqu.
    Eu tenho um primo que nasceu na Inglaterra, aos 4 anos ele ainda não falava então os pais dele (meus primos de segundo grau) começaram a achar estranho e a procurar a causa porém na Inglaterra ninguém conseguia diagnosticar, então eles vieram ao Brasil e aqui ele passou por uma série de exames, testes, etc. e descobrimos então que ele é autista, ainda quando ele estava aqui, minha tia avó tentou ensinar muitas coisas para ele mas ele ”não” aprendia nada. Quando eles voltaram para a Inglaterra t-u-d-o o que a minha tia havia ensinado para ele ele reproduziu. Infelizmente o médico disse que ele não será capaz de aprender 2 idiomas portanto deverá ficar apenas no inglês e agora ele já está aprendendo a falar, ele deve ter uns 7 anos e é muito observador, tem um cardápio de comidas bem fechado e adora ventiladores. Ah, e nós não desistimos não! Pretendemos ensinar o português a ele sim!
    Espero que tenha gostado ^^ beijos…

  53. Gabi Pairet says:

    Oi, Mel! Sou estudante de psicologia e super me interesso pelo autismo, não sei o motivo, mas esse assunto sempre me chamou a atenção. Muito legal você falar sobre isso aqui no blog, pois acredito que tem muita gente que passa reto sobre isso e quanto mais visível o problema mais visível é a luta que os autistas, seus familiares e profissionais dessa área travam todos os dias.
    Desculpa a curiosidade, mas em que momento do curso de psicologia tu tiveste contato com o assunto e os autistas? Tu fizeste estágio em alguma escola especial?
    Quero muito ter um conhecimento maior e um contato mais direto com o mundo dos autistas, mas desde já entendo as grandes barreiras que vou encontrar.
    Parabéns por esse post e pelo blog! Beijoss

    http://cafecomaraposa.blogspot.com.br/

  54. Joci says:

    Tive o privilégio de conhecer e conviver com a Mel durante o período em que ela foi voluntária na escola especial em que trabalho, realmente o assunto para muitos ainda é desconhecido e intrigante. Sou suspeita para falar sobre o assunto, pq sou totalmente apaixonada pelo q faço, mas lendo os comentários percebi que a maior dúvida é em como se relacionar com um autista e disso eu posso falar bem, pois a regra é simples….AME, não tenha preconceito, esteja aberto para o novo sem julgamentos, não existe fórmula, cada um é um ser humano diferente, independente da sua patologia e merece ser amado e respeitado.Não tem erro!
    E para quem quiser conhecer um pouco mais do assunto indico a AMA Associação de Amigos do Autista
    http://www.ama.org.br
    Fiquem a vontade também para conhecer o trabalho da escola em que trabalho através do Facebook: https://www.facebook.com/escola.alternativa.9?fref=ts
    Bjão Melzinha, vc está de parabéns como sempre!

  55. Lala says:

    Que fotos lindas e gesto singelo, Mel!
    Eu não sabia que esse era o dia do autismo :/
    Quando eu estava na segunda série (3 ano do ensino fundamental) tinha um garoto autista em minha sala, era uma das pessoas da turma que eu mais gostava, haha.
    Como eu era pequena e não sabia muito do assunto na época, nem liguei muito para perguntar já que eu achava ele legal e tal.
    Gostaria de saber mais sobre o que é, porque por incrível que pareça até hoje não sei muito sobre o assunto :/
    É isso =)
    Beijão, Lala.

  56. Rafaele Souza says:

    AAAAH,A culpa é das estrelaas ♥
    SOu completamente apaixonada por esse livro,sério!
    Pra mim ele tem a capa mais bonita E-VER!
    hahaha

  57. Ju says:

    Quando comecei a ler o post, na hora lembrei na minha mammy ! Ela é professora e trabalha com crianças autistas.
    Sempre me interesso pelas histórias dela, tanto que até roubei um livro dela falando a respeito.

  58. Bruna says:

    Dia 02 foi o Dia Mundial da Conscientização do Autismo,
    É cada vez maior o número de pessoas diagnosticadas com Autismo e pouca gente conhece, se interessa e sabe o que é. Isso é um assunto tão importante pra mim, é pessoal. Meu irmão, meu único irmão é autista. E o que isso muda? Tudo!
    Eu nunca tinha parado pra sentar e escrever tudo o que eu sei e tudo o que eu sinto. Eu tenho vivido 10 anos com isso e ainda sei muito pouco e sei que foi drama de infância. Quando ele nasceu, eu também era criança. Vivi uma infância turbulenta, conheci praticamente todos os médicos, hospitais, psicólogos e clinicas de Brasília. Corremos atrás de tanta coisa, demorou muito pra gente descobrir o Autismo. Quando Deus nos (eu e minha família) deu essa missão, o assunto era pouquíssimo conhecido. É triste lembrar o tanto de coisa que a gente passou, não só pela procura do diagnostico, mas a questão das pessoas também contou muito. Existe muita gente incompreensiva e uma coisa que aprendi com Autismo é que compreensão é essencial.
    É complicado escrever Mel, é tipo aquela frase que o Renato Russo canta na música Índios: “Quem me dera ao menos uma vez. Explicar o que ninguém consegue entender.” Como o nome de um livro sobre Autismo mesmo diz, é um Mundo Singular. Pra compreender você tem que participar mesmo, não dá pra entender o externo porque por fora somos exatamente iguais. Autistas gostam de ser sozinhos, as vezes eu fico tão triste porque meu irmão fica o dia todo no computador, mas eu lembro o quanto ele ama ir pra escola e pra clinica dele. Eu ainda estou naquela fase de entender, acordei muito tarde pra esse assunto que eu vou viver por toda a minha vida e eu preciso me preparar para o futuro.
    Falando em futuro, tenho muitos planos de escrever livros, palestras, quem sabe até mais? Eu preciso e quero muito que esse assunto seja comentado, demos um grande passo com essa lei aprovada (Lei 12.764/12) mas ainda temos um caminho a percorrer. Espero que com o tempo passando, as pessoas tenham mais atitude de ir conhecer esse mundo tão maravilhoso que os autistas pertencem. É mágico. Me sinto privilegiada pro ser irmã de um Autista.
    E todos os autistas são incríveis, maravilhosos. Eu amo o quanto eles são fãs de alguma coisa. Conheço muuuuuitos autistas e é incrível a intensidade do amor deles. É um amor sincero mesmo.

  59. Julia says:

    Lindas as fotos Mel!!
    O irmão da minha amiga (eu não sei se eu posso dizer melhor amiga, porque eu não gosto de rótulos, mas querendo ou não meus pais são muito amigos dos pais dela, então ela e o irmão dela, vão lá em casa pelo menos duas vezes por semana) foi diagnosticado aos dois anos. É bem difícil acompanhar o ritmo dele, porque tem coisas que ele demora muito pra aprender, e outras ele aprende rápido demais. Às vezes nós nem mesmo sabemos. Ano passado nós descobrimos que ele sabia ler e escrever, mas só não escrevia graças a preguiça, haha! Mas quando ele está no computador ele escreve tudo mesmo(!), e pode até estar na casa de um estranho que ele vai achar todas as músicas que gosta. Porém só aprendeu a gritar esse ano. Não a gritar, claro, mas o que acontece quando ele grita (ou de um jeito mais simples: aprendeu que as pessoas fazem o que ele quer quando começa a gritar) E é engraçado. Autistas geralmente são muito agressivos, mas eu imagino que se não fosse, ele seria a pessoa mais calma do mundo! Ele quase nunca fica bravo. Mas é muito legal conhecer alguém assim porque você percebe que o mundo não é simples do jeito que você achava. Ele é muito maior e muito mais confuso, mas ainda assim muito mais bonito.

  60. luiza zmuda says:

    Melina Você já leu o Estranho Caso do Cachorro morto?
    tambem fala desse assunto sobre o autismo é bem legal recomendo

  61. Renata Peixoto says:

    Gostei do post. Principalmente por se tratar de um assunto muito pouco abordado, ainda mais na internet. Legal saber que tu se interessa por estes assuntos/questões sociais.
    Adorei as fotos <3
    Poderia rolar mais vezes fotos com temas de cores, né?

  62. […] dia mundial da conscientização do autismo eu fiz um post onde pedi para vocês compartilharem experiências com pessoas autistas e também suas dúvidas […]

  63. Seu post ficou um encanto Mel. Eu adoro ler e ver filmes sobre o autismo, fico admirada com a capacidade deles de verem o mundo de um jeito tão diferente.
    Fiz um post sobre o assunto também, indicando alguns filmes, no meu blog. Se você quiser dar uma passadinha lá o link é: http://daninhafarias.wordpress.com/2014/04/02/filmes-sobre-autismo/
    Ah e você já leu o livro Passarinha? É um livro incrível, super recomendado para ler hoje.
    Beijocas! <3


Deixe seu comentário