ALEATORIEDADES

maneira de olhar

maneira

Acordei. Estava sem meus óculos há exatamente um dia, onze horas, sete minutos e alguns segundos, o que me causava enorme estranhamento. Meu companheiro fora parar em algum universo paralelo, um mundo qualquer longe de meus olhos, literalmente falando. Não o preciso tanto assim, mas após uma maratona de filmes legendados, rostos distantes e horas a fio utilizando a tal maravilha tecnológica inimiga da boa visão, vulgo computador, meus olhos pediam socorro. De menina protegida, passei a ser um objeto vulnerável, um simples alvo de acenos irreconhecíveis e tropeços constantes. Ora, pois um óculos não poderia ser tão importante na vida de uma pessoa, eu dizia suspirando fundo. Era. Tanto era, quanto quem sabe, sofria mais a falta que certa vez na infância quando levei um peteleco, um puxão de orelha e palavras rudes de uma colega da escola. Sem pausas, andava de um lado a outro como uma barata tonta, falando em voz alta, como se São Longuinho ou qualquer outro santo pudesse me ouvir. Caminhei então até a sala, quando percebi um pequeno objeto delicadamente posicionado em cima da bolsa, pronta para ser levada embora. Era ele. Lá estava, da maneira que lembrava da última vez, bem longe de onde imaginava, mas com todos os riscos e rachaduras, do jeito que a vida o havia feito. Nesse momento fui completa, fui eu, fui alta definição. Agora apenas me pergunto por que motivo estou com ele no rosto, o que me traz algumas opções: talvez tenha conseguido por reza brava, pela compaixão de minha mãe que o encontrou e devolveu ao seu devido lugar, quem sabe, São Longuinho tenha me ajudado, mas por puro romance, prefiro pensar que ele sentiu saudade e voltou por querer voltar a enxergar o mundo de minha maneira, em forma de poesia e canção.

***

Gostaram? Essa ainda não é a história que prometi semana passada, porém quero saber o que vocês acham desse estilo de narrativa, agrada? Gosto muito de escrever em detalhes, acho que torna a experiência com a leitura muito mais rica e profunda. Vamos lá, me contem! E caso ainda tenham alguma dica para mim, queiram que eu escreva sobre algum assunto, ou qualquer coisa assim, comentem!

Um beijo, Dan ❤

Posts relacionados

24 Comentários + Comentários pelo Facebook
Post Anterior
junho 17, 2013
Próximo post
junho 17, 2013
  • Sara Carvalho

    Dani! Amei esse texto *-*
    Conheço o sentimento,haha
    Beijos :)

    • Danile Pedrozo

      Eu me sinto faltando um pedaço quando não o encontro! haha Ah, e obrigada, querida! {:

  • Karlie

    Eu gostei desse :)
    Espero que você continue fazendo textos assim – e eu também gosto de narrativas detalhadas <3

    • Danile Pedrozo

      Que bom Karlie, então contunuarei! Qualquer hora acabo iniciando de vez a história com continuidade, só esperem! {:

  • Bárbara Souza

    Ameeei o texto!! Adoro o jeito que você escreve, transformando um acontecimento corriqueiro em uma coisa poética *–*

    P.S.: Também uso óculos e vivo perdendo… acho que vou começar a enxergá-lo com “outros olhos” haha’

    • Danile Pedrozo

      Obrigada, de coração! Gosto dessa coisa de transformar fatos que para muito são acontecimentos banais em beleza {{{:

  • Giovanna

    Belíssimo texto Dan! Retrata acontecimentos simples do nosso dia-a-dia, porém com uma essência. Inspirador, amei! Quero mais <33

  • Dayse Fashion

    Oii Danile, tudo bom?
    A foto e o texto estão de excelente qualidade, parabéns!
    Acredito que não há nada a ser melhorado, seu texto é ótimo e gostoso de se ler!
    Continue assim!
    bjsss

    • Danile Pedrozo

      Obrigada Dayse! Continuarei escrevendo e espero que também continue comentando e dividindo comigo o que achou dos meus textos, fico muito feliz sempre em saber! {{{:

      • Dayse Fashion

        Imagina Danile! Sempre estarei por aqui, gosto bastante do blog e de seus textos! :D
        bjsss

  • Zezinha Souza

    Outro texto incrível, Dan….adorei. E sabe de uma coisa, me identifiquei bastante, afinal, vivo perdendo os meus e fico louquinha procurando e enloquecendo toda a casa…sem falar que o pobre do São Longuinho é sempre solicitado! :)

    Parabéns mais uma vez!

    Beijinhos

    • Danile Pedrozo

      Enquanto eu o perder e no final das contas ainda o encontrar fico feliz, espero que nunca passe pelo trauma de nunca mais tê-lo! Ah, e obrigada como sempre, querida Zezinha! {{{:

  • Lorena Moura

    Adorei o texto!
    Esse problema acontece muito comigo e adorei o jeito com o qual você explicou a sensação de depender do óculos (algo que eu acho que parece um pouco insignificante para as pessoas que não usam). E você conseguiu traduzir, em bonitas palavras, esse sentimento.
    Espero ansiosa seus próximos posts!
    Lolo

    • Danile Pedrozo

      E olha que eu tenho um grau baixo, Lorena! Mesmo assim sinto um estranhamento muito grande e meus olhos começam a doer! E fico feliz que tenha gostado, continuarei escrevendo e espero que continue comentando, obrigada! {:

  • Gabriela Tavares

    Que texto mais fofo! Você conseguiu escrever sobre um tipo de sentimento diferente, mostrando o quanto certas coisas passam a fazer parte de nós. Aaah! E adorei os detalhes, eles dão riqueza ao texto. Parabéns *-*.

    • Danile Pedrozo

      Detalhes são muito importantes para mim, como já disse em um post mais antigo! Obrigada pelas palavras, fico muito feliz! {:

  • Tátila

    Amei o texto. Já passei por isso diversas vezes. Sem meus óculos é como se me faltasse um braço. Desde os nove anos eu comecei a ver o mundo a minha maneira.

    Gostei demais do texto :D

    • Danile Pedrozo

      Eu imagino como alguém com um grau mais alto se sente! haha obrigada querida {:

  • Marijleite

    Tem menos de dois meses que uso óculos, e é tão bom poder enxergar direitinho! Por enquanto não deixo eles em qualquer lugar, não precisei pedir pra São Longuinho me ajudar a encontrá-los (que legal saber que não sou a única que acredita nele, o santo que sempre me ajuda).
    Gostei do texto, só o dividiria em parágrafos talvez.
    http://www.petalasdeliberdade.blogspot.com.br

  • Lívia

    Quando vi o título logo pensei: ebaebaeba post da Dan! *-* Mágica a descrição de um pequeno objeto que é a vida pra muita gente!

    Tô ansiosa pro início da história! Quem sabe um dia não vira um livro? ;)

    Beijinhos ;*

  • Fabiana Carmelo

    Adorei! Graças a você a relação entre eu e meu óculos ficou muito mais esclarecida. Boa narrativa também!
    Beijos, super ansiosa por história sua.

Deixe seu comentário

Instagram

  • acabei de liberar o vlog da semana no canal mel in wonderland 🖤✨ estou esperando vocês por lá ☺️
  • os garotos do @estudiograma vieram colocar minha cabeceira hoje 🖤 (arrasta pra foto do lado pra conhecer eles!) ✌🏻 desde criança sempre achei lindo camas com cabeceiras, mas essa é a primeira vez que tenho uma. ah, um recado muito importante: eles que fizeram a minha escrivaninha maravilhosa e nesse exato momento estão com uma disponível para pronta-entrega então caso alguém aí tenha interesse é só falar com eles pelo @estudiograma ou pelo site 😉 ah, a preferência é pra quem for de Curitiba ou redondezas. (mais um móvel testado e aprovado pelo @spock_inwonderland 🖖🏻👽)
  • acabei de liberar um post novo no blog compartilhando uma serendipidade que aconteceu comigo hoje e que tem a ver com esse livro da encantadora @doddleoddle 🖤✨ #dodieclark #dodieclarkbook #secretforthemad #secretforthemadbook
  • uma cena do vlog que postei semana passada no canal mel in wonderland 🖤 quem aí também ama chihiro? 😍 #chihiro #totoro #ghibli
  • acabei de liberar no canal um vídeo apresentando minha nova estante desenvolvida pelas garotas incríveis do @varandaarquitetura 🖤 tô esperando vocês por lá 😍 #bookshelf
  • eu tô muito feliz com os comentários que vocês estão fazendo nos ~dois~ posts que liberei ontem no blog 🖤 sério, vou responder todos com calma mais tarde ✨ obrigada por todo carinho e apoio que vocês me dão ☺️ é bom demais saber que vocês estão gostando de acompanhar o blog 🖤

instagram