Books

A estrela que nunca vai se apagar (Esther, Lori e Wayne Earl)

7.03.2014

Se Esther e eu tivéssemos nos conhecido, tenho quase certeza de que seríamos bons amigos: ela adorava ler, escrever e desenhar, era fã de Harry Potter e viveu a ideia de que, no fim das contas, tudo na nossa vida tem um lado bom – mesmo que seja um simples “poderia ser pior”.

O maior mérito de A estrela que nunca vai se apagar é fazer com que o leitor crie uma espécie de vínculo com Esther, mesmo sem jamais ter conversado com ela: cartas, desenhos, trechos de diários, depoimentos de familiares, amigos e profissionais de saúde que tiveram contato com ela ajudam a criar um retrato extremamente rico, sem cair naquela armadilha de transformar a pessoa em uma espécie de entidade sem defeitos, inumana.

Ela era bem humorada, mas também passava por momentos de angústia, se estressava. Tinha energia, mas às vezes ficava abatida por conta do desgaste causado pela doença e pelos tratamentos. Amava sua família e seus amigos, mas nem por isso estava livre de conflitos. Adorava companhia, mas às vezes queria ficar a sós com seu diário e com Deus. Era, acima de tudo, humana.

A menina que inspirou A Culpa é das Estrelas, de John Green (que se tornou seu amigo apesar do pouco convívio), era cativante, e resumi-la a “uma menina com câncer” seria um insulto, pois mesmo uma doença tão impactante, que tirou sua vida, não apagou nem suas qualidades, nem seus defeitos.

Os materiais que compõem o livro são extremamente variados, e isso deixa A estrela que nunca vai se apagar muito rico. Os estilos variam, mas a forma como organizaram os textos e imagem evita que o leitor se confunda.

A diagramação é muito “feliz” (alguns leitores talvez achem exagerada), e ajuda a afastar um pouco o lado triste da história – o fato de que, de certa forma, o câncer venceu a “luta”. Minha única ressalva é em relação à foto da capa, que é bonita, mas tem uma resolução muito baixa.

Não acho que a vitória da doença foi total, porque acredito que uma pessoa só morre quando é esquecida, e, se depender dos leitores e fãs que conheceram sua história, isso não vai acontecer tão cedo com a Esther.

Leitura obrigatória para os fãs de A Culpa é das Estrelas – e muito recomendado até para quem ainda não leu essa obra do John Green.

ISBN 9788580574661 Editora Intrínseca Nota 4/5 Páginas 448

Aperitivos

“Sabe o que é meio estranho?

Quase todas as noites, quando estou indo para cama, falo meio que sozinha e meio que com Deus (minha forma de oração). E, enquanto estou falando com Deus, sem dúvida falo das minhas dores e também do câncer. Essa não é a parte estranha. A parte estranha é que no final costumo ter lágrimas escorrendo pelo rosto, mas não sei por que, já que não fico (muito) triste por causa do câncer todos os dias. Talvez isso libere algumas das minhas emoções que as pessoas normais controlam em situações sociais diárias… Não faço ideia.”

(p. 112)

“Um grupo de crianças com as quais eu trabalhava em 2002 me incentivou a ler Harry Potter. Eu estava relutante – pensava que fosse apenas uma moda passageira –, mas, assim que comecei o primeiro capítulo, não consegui mais largar. Fechei o livro, virei-me para a pessoa sentada ao meu lado, e disse:
– Este livro acaba de mudar minha vida.
Hogwarts abriu um mundo de liberdade para mim, um mundo de maravilhas

(…)

Por ter passado a infância devorando Harry Potter com a irmã Evangeline, Esther encontrou consolo nas experiências de Harry. Da mesma forma que tantos outros e eu, para Esther, os triunfos de Harry eram os triunfos dela. As perdas dele, as perdas dela.”

(p. 281; 283)

Obrigado pela atenção, e até a próxima!

Quem quiser me acompanhar em outras redes, é só seguir: Twitter ✎ Facebook ✎ Instagram  Tumblr

Quem quiser acompanhar o A Series of Serendipity, é só seguir: Twitter ❤ Fanpage ❤ Instagram ❤ Youtube

Por

Equipe Serendipity

  1. Geovanna says:

    Quero esse livro o.o
    E que resenha mais fofinha *-*

  2. Victoria says:

    Vou comprar o livro na pascoa….
    Adorei o post beijos!

  3. Acho que não vou resistir ir a livraria amanhã e não levar esse livro para casa, e agora “A Culpa é do Gui”.
    Eu já fiquei com os olhos cheios de lágrimas lendo os quotes. O livro deveria vir com uma caixa de lencinhos de papel. Só acho que o marketing desperdiçou uma chance aí.

    Adorei a resenha Gui!
    Beijinhos ;*

    • Gui says:

      Hahahahaha assumo essa “culpa” com satisfação, meu bem: é um belo livro, especialmente para pessoas com sensibilidade (como é o seu caso). Prepare os lenços! XD

      :*

    • Nelson Junior says:

      As vezes precisamos despertar para o mundo que vivemos.
      Deixamos que as nossas experiências como forma de um aprendizado. E até mesmo vamos vivenciando com as outras pessoas, um pouco de sua história. Aprendemos a ter um pouco de compaixão, choramos, rimos, carregamos em nossos corações, todas as alegrias que compartilhamos. E, com tudo não esquecemos de quem amamos. Mesmo através da leitura.

  4. Ana Flavia Schemes says:

    Amei sua resenha, me deixou com muita vontade de ler! Os trechos então… hahaha
    Parabéns :D

  5. Pedro Faria says:

    Depois deste post fiquei com mais vontade de ler o livro. Adoro resenhas do Guilherme, são ótimas. Abraços!

  6. Barbara Sá says:

    Gui, tô adiando a compra desse livro a vidas. Pensa numa pessoa falida. Ai tu me faz essa resenha, preciso comprar. Infelizmente o frete está um absurdo, só indo na livraria mesmo.
    Eu sou muito manteiga derretida. Imagina que eu já chorei horrores com a Hazel, mesmo sabendo que era ficção, lendo esse e sabendo que a história real eu vou me debulhar.
    Adorei a iniciativa do John Green e dessa menina, por se deixar ser exposta. As pessoas tendem a ver apenas o lado ruim do câncer, não que exista um lado bom. Mas que acho que, se a pessoa está vivendo ‘os últimos momentos de sua vida’, tem que no mínimo fazer com que esse ‘final’ não seja tão doloroso, sabe? Claro que nem toda vítima de câncer morre, mas eu acho que devemos estar preparados para o pior e não temendo ele.
    Sou daquelas que acreditam que se a pessoa está indo é porque já fez tudo o que tinha que fazer por aqui.
    Resumindo: Quero esse livro pra ontem!

    Beijos,
    http://www.segredosentreamigas.com.br

  7. Nanda says:

    Adoro suas resenhas :) Fiquei com vontade de ler esse livro…

  8. Vanessa says:

    Nao sei se e porque adoro A Culpa e das Estrelas mas acho que foi a melhor resenha que voce ja fez!
    Amanha indo em busca deste livro.

  9. Neto Seabra says:

    Nossa, preciso compra-lo. Deve ser incrível e bem emocionante…
    A resenha está muito boa, parabéns!

  10. Paloma says:

    Ler a inspiração de John, sem dúvidas, vai aumentar meu carinho pela sua obra. Uma menina normal, mas como “dizem” é uma privilegiada do câncer. Não me levem a mal, mas ser a inspiração de alguém não é nada ruim <3

  11. Agora fiquei com muita vontade de ler e conhecer a história da Esther.
    Apenas.

  12. Agnes says:

    Não sei se você viu, mas postaram uma foto sua num tumblr de bucket list!
    Não sei também se se incomoda em não darem créditos, mas resolvi avisar mesmo assim :)

    http://bucketlistforgirls.tumblr.com/post/74879030528

  13. Selma Marina says:

    Eu achei a resenha muito boa também. Realmente a foto de capa não deixa ele mais atraente e a diagramação “exagerada” me incomoda em certas leituras, mas como não ler uma história tão incrível? Você me incentivou muito a ler ele Gui, usou as palavras certas :3 Não sei ainda se vou ler “A culpa é das estrelas” porque eu sou realmente muito, muito chorona hehe

  14. Naiara says:

    Ai que Lindo! Com Certeza euniria amar tb ter conhecido ela pessoalmente! tb resenhei esta semana este livro e tao fofo que achei, apesar de todas as lágrimas corridas ao lê-lo :)

    http://naiaravieira.wordpress.com/2014/03/04/a-estrela-que-nunca-vai-se-apagar/

  15. Primeira vez que lenho uma resenha tão cativante e envolvente. Espero que o livro também seja assim, mesmo nunca tendo lido “A culpa é das estrelas” por considerar “clichê” demais. Acabei me interessando, acho que é o tipo de livro que te faz sorrir.

    http://www.rayneon.com.br/

  16. Não basta termos chorado horrores com A Culpa é das Estrelas, ainda tem esse livro que deve nos arrancar várias lágrimas. Já estou até me vendo quando for ler esse livro… =/
    Aposto que é uma coisa muito linda e muito triste ao mesmo tempo.

    Beijos,
    Cenas do meu livro de memórias

  17. Rafaela Netto Oliveira says:

    Gui, o que você acha que faltou para a sua nota ser 5?

  18. Lala says:

    Posso dizer com toda e completa certeza que essa foi a melhor resenha tua e de qualquer outra pessoa que eu já li!
    Pode chorar com resenha? Se não pode já era…
    Gui, você conseguiu se superar!
    Essa foi a resenha mais esperada por mim e você arrasou! Depois dessa é impossível alguém não querer comprar esse livro!
    Já li a introdução do John Green e dos pais que está disponível na internet e nossa… impossível não se emocionar!
    Amei, sem palavras!
    Beijão, Lala.

  19. Bruna Mota says:

    Adorei o texto Gui; ainda não li A culpa é das estrelas (tá na fila), mas agora sei que tenho outra leitura obrigatória . Ps: fiquei comovida com a parte de HP (achi que todos que ja leram oa livros entendem o porquê ).
    Parabéns pelo texto!

  20. já entrou pra lista “livros que preciso ler”, adorei a resenha e principalmente a parte de “aperitivos” o que me deixou mais instigada ainda!

  21. Laura says:

    Estou lendo (e amando) esse livro!!! Adorei a resenha.

  22. Amanda Ramos says:

    Amo A Culpa é das Estrelas, mas esse não é o real motivo pelo qual me motivou a querer ler esse livro. Achei tua resenha fantástica <3
    Espero adquiri-lo logo.

  23. Thainá says:

    Resenha maravilhosa, eu estava meio assim de comprar, mas sua resenha mudou completamente minha opinião!

  24. Mia says:

    Também achei a resolução da capa baixa, mas acho que é porque a Esther tirou a foto com a web cam

  25. Isabelle says:

    Já estava com vontade de comprar esse livro, depois dessa resenha estou com mais vontade ainda!
    Beijos!

  26. Tati Munhoz says:

    Nossa senhora, chorei lendo a resenha já!
    Wishlist now!
    Adorei a resenha, gui! :*

  27. Aline Amorim says:

    Eu ainda não li “A Culpa É Das Estrelas”. Mas esse livro estará na minha wishlist também.
    Beijos

  28. letícia says:

    Gostei bastante da sua resenha.
    Aqui onde eu trabalho tem uma FNAC e Martins Fontes pertinho e eu adoro ir na hora do almoço em livraria ver se eu acho algum livro que me chame atenção.
    Eu já passei por esse várias vezes, mas nunca levei pq achei que seria meio difícil de ler, já que é escrito por várias pessoas, achei que ficaria meio confuso…
    Eu li A Culpa é das Estrelas (e quando eu imaginava ela, pensava na menina que faz Bates Motel, sabe? – a série – que anda com um respirador…) e chorei demais lendo, mas ainda ficava meio assim de levar esse livro e ser o que eu disse, meio confuso.
    Por isso gostei da sua resenha, parece mesmo que é fácil de entender cada lado e que vale a pena a leitura :)

  29. Bruna Gatti says:

    Não estava muito certa quanto a querer ler este livro ou não, mas agora já está na minha lista, gostei da resenha. Já tinha visto alguns vídeos da Esther no You Tube e também o John falando sobre ela…
    http://legatti.blogspot.com.br/

  30. letícia says:

    Voltei pra dizer que comprei o livro na hora do almoço, to na página 63 e deu vontade de chorar umas 3x…to vendo que vai ser um daqueles livros marcantes. Obrigada mesmo pela resenha, fez toda diferença!

  31. Luana says:

    Ai, agora estou uma super vontade de ler! *o* Sabia que o livro era uma espécie de compilados história da vida da inspiradora da Hazel Grace, por isso eu já estava com o livro em vista, mas agora, depois de ver as fotos das paginas do diário dela, depois de ver os aperitivos sobre como Harry Potter foi pra ela emocionalmente uma coisa de grande importância (até mais do que foi pra mim =O)… Caramba, agora eu preciso muito ler!
    Ps: Eu sempre tive uma ressalva enorme a respeito desse livro por conta da capa, eu pensava: se eles foram tão, digamos, descuidados em escolher até a foto da capa, que está toda pixelada, imagina a seleção e a organização do conteúdo… Deve estar uma loucura esse livro! Mas ao longo de seus posts, Gui, fui adquirindo uma confiança na sua opinião, então estou com esperanças de que o livro seja bom, sim! ^^

  32. […] dia 07 de Março, publicamos uma resenha da biografia da Esther Grace Earl, que inspirou Jhon Green a escrever A Culpa é das Estrelas. Uma pequena […]

  33. Ana c says:

    Mel eu queria saber qual e seu livro favorito pois amo ler e já escrevi algumas obras não publicadas pois fui na edi. E ficou mail de 7 mil

  34. Kethlyn Radael says:

    Preciso urgentemente ler esse livro, necessito !

  35. Estefanny says:

    Nossa! Amei esse livro, vou ler… :D

  36. Amanda Caah says:

    Li esse livro e amei e definitivamente ajuda as pessoas doentes não pensar só na morte mas em ”vamos aproveitar em quanto não acontece…” Parabéns Gui.


Deixe seu comentário