IMG_5140
Books

O diabo dos números (Hans Magnus Enzensberger)

28.03.2014

IMG_5140

Sempre fui uma negação em matemática, e não tenho vergonha de admitir isso, porque não foi por falta de esforço: eu estudava, fazia todos os exercícios, prestava atenção nas aulas, repetia cálculos várias vezes, e mesmo assim agradecia a Deus porque, um dia, eu faria faculdade de Jornalismo e teria que me preocupar com matemática básica, não com funções de segundo grau, logaritmos, matrizes…

Dito isso, gostei de O diabo dos números antes mesmo de começar a leitura. “Um livro de cabeceira para todos aqueles que têm medo de matemática” seria muito bem-vindo para alguém que, como eu, já tirou zero em uma prova dessa disciplina infernal (em minha defesa, digo que foi o único zero que já tirei em toda a minha vida escolar)…

A história é muito simples: Robert, um jovem estudante que não gosta de matemática (principalmente porque seu professor, o Sr. Brockel, não faz o menor esforço para deixar a matéria mais amigável), começa a receber em sonho visitas de Teplotaxl, um “diabo dos números” – digo “um” e não “o” porque, apesar do título, existem outros “diabos dos números”. Em treze noites, Teplotaxl mostra a Robert vários segredos dos números, aproveitando a flexibilidade do mundo dos sonhos para conjurar calculadoras, cocos, blocos eletrônicos e coelhos, escrever números no ar e na água…

Há diversas ilustrações espalhadas pelo livro, que ajudam a imaginar as cenas e visualizar melhor as lições do diabo dos números.

O ar de “fábula” ajuda a leitura a fluir, e o fato de ser uma espécie de “aula” (muito interessante, vale dizer), em que o protagonista aprende, faz você se sentir parte da história, como se estivesse vendo os malabarismos de Teplotaxl – que começa meio hostil, mas que pouco a pouco se torna amigo de Robert (e do leitor). Lúdico sem ser “infantil”.

Aparentemente, a diagramação original (o livro foi lançado em 1997) foi mantida, com desenhos de diversos tamanhos nos cantos ou no meio das páginas. Fica um pouco estranho, mas não chega a atrapalhar. Ah, e os desenhos são bem legais! Gostei da simplicidade deles.

Não me tornei um amante da matemática, nem decorei fórmulas ou macetes, mas com certeza ganhei familiaridade com os números. E se você, ao contrário de mim, ama/adora/gosta de matemática, também vai curtir o livro!

Obrigado pela atenção, e até o próximo post!

ISBN 9788517647183 Editora Companhia das Letras Nota 5/5 Páginas 268

Quem quiser me acompanhar em outras redes, é só seguir: Twitter ✎ Facebook ✎ Instagram  Tumblr  Youtube (Novo)

Youtube  Instagram ❤ Twitter ❤ Facebook ❤ Bloglovin’ ❤ Pinterest ❤ Tumblr ❤ Goodreads  Flickr

 

Por

Gui

  1. Estou lendo o nome do autor como se ele fosse o carinha de Breaking Bad :x

    Mas… divagações a parte, eu sempre amei os números, minhas matérias preferidas eram matemática, química, física. Tanto que passei em Física na faculdade né? :x

    O livro me lembro muito “O Diário de Sofia” que me ensinou e me ajudou muito em filosofia que era uma matéria que eu não gostava.

    Adorei a resenha! :*

  2. Lala says:

    Amei o post!
    Confesso que quando vi a capa e o título meio que desanimei (matemática D:), mas após ler a resenha até me animei, haha!
    Por enquanto só tirei um zero em matemática também e não foi por falta de estudo! Odeio cálculos muito grandes e me perco D:
    Fiquei curiosa sobre o livro ^^
    Beijão, Lala.

  3. Carol says:

    Achei bem o livro bem interessante e a resenha esta muito boa. Apesar de eu me entender “bem” com a matemática imagino como você se sente.

  4. Flávia says:

    Amo matemática! Quero muito ler esse livro pra ver se consigo pegar um jeito legal de ensinar matemática para as pessoas. Morro de vontade de fazer alguém se apaixonar por essa matéria (como a professora mais linda do mundo conseguiu fazer comigo, hehe).
    Senti falta de algum trecho desse livro, como você costuma fazer… Mas adorei a resenha!
    Abraçoss o/

  5. Sharon says:

    Oie.
    Me pareceu bem interessante. Gosto de livros com assuntos diferentes e principalmente de ilustrações, acho que dão mais vida ao livro… pode me chamar de criança, não ligo.
    Matemática não é algo nada tentador, e mesmos matérias mais simples se o professor não é bom no que faz complica. Até hoje só tive um cara que me fez entender tudo oq dizia, mas infelizmente só dava aula de anatomia óssea. E era somente uma cadeira. #Chatiadíssima pelo fim do semestre.

    Ótima dica.
    Bjoos

  6. vanessa kairalla says:

    Na escola tivemos que ler este livro e adaptar para uma peça de teatro. Acabou virando um musical em que eu era, nada mais nada menos que, Teplotaxl. Hahaha foi muito legal ter tido contato com este livro naquela época. Passaram muitos anos já, mas não esqueço de algumas lições dadas e muito bem aprendida. Obrigada pela leitura nostálgica ♡

  7. Eduarda says:

    Tenho uma relação de amor e ódio com matemática, mas sempre consigo equilibrar minhas notas.
    Já li esse livro quando tinha uns 10 anos e lembro que na época me apaixonei, só que ele era emprestado, nem lembrava mais dele, agora quero comprar um pra mim!
    Beijos Gui!

  8. Joice Novaes says:

    Parece ser um livro muito bom, eu não gosto de matemática, mas deve ser muito divertido um livro ilustrado com isso. haha
    Vou procurar pra ler ♥

  9. Carolina says:

    também li esse livro quando era pequena e achei-o muito giro :)

  10. L.I.A. says:

    Gostei de saber que existe um livro assim. Não considero a matemática minha amiga ou companheira para as horas vagas, então um livrinho (e eu simplesmente ADORO livros) seria ideal para me fazer sentir (um pouco de) simpatia com a matéria. Gostei de saber que existe algo que possa me fazer estudar com vontade para as provas e testes.

  11. Rafaela Netto Oliveira says:

    Apesar de não gostar de matemática eu adorei o livro e a resenha! Quem sabe eu não começo a gostar depois de lê-lo? A esperança é a última que morre. Hahaha
    Parabéns pela resenha! =)

  12. Alana says:

    AMO AMO AMO AMO ESSE LIVRO *-*
    Tenho ele há quase 10 anos. Um dia a minha professora de matemática levou pra sala, e eu fiquei encantada. Enchi o saco dos meus pais ate me darem ele no natal hahaha
    Uso ate hoje quando quero lembrar de alguma coisa. Super recomendo!

  13. Bianca says:

    Odeeeio matemática também, é a pior matéria pra mim, e como você, eu também já tirei zero, mas graças a Deus foi o único. Queria poder me livrar desta matéria terrível, mas fazer o que né!?
    Adorei sua resenha, esse livro chamou minha atenção, talvez depois que amenizar minha gigantesca lista de livros que tenho pra ler, eu o leia. :D Beijão.

  14. Nunca gostei muito de matemática, tinha um ótimo professor – e tirava notas boas no 1º grau – cheguei no ensino médio e nem sei como passei os três anos sem repetir, porque não aprendi quase nada, tive péssimos professores e acho que isso influencia muito. Achei o livro interessante, vou colocar na minha lista.

  15. Na Biblioteca onde trabalhei tem este livro, se não me engano. Esta capa e este título me é muito familiar.

    Abraços, Gui (e parabéns pela resenha).

  16. Quero muito ler esse livro porque apesar dos inúmeros esforços sempre tive muita dificuldade em matemática. Tanto é que, como profissão, segui uma área totalmente diferente. Mas, parece ser bom relembrar um pouco os números de uma forma divertida, hahaha.

    Beijos!


Deixe seu comentário