Inspiration

Londres e a Pátria amada

26.08.2014

IMG_8469-2

Há um tempo comecei a receber alguns comentário no blog e no instagram questionando o meu amor e patriotismo pelo Brasil e por isso resolvi fazer esse post. Quem acompanha o meu trabalho deve ter percebido que falo muito sobre Londres e que há várias referências à Inglaterra nas minhas fotos, na decoração do meu quarto etc. e como os posts sobre esse assunto vão aumentar (já que vou viajar para lá em breve) hoje vou fazer um pequeno desabafo sobre isso.

Sabe como é se sentir em casa? De sentir que você pertence a determinado lugar? Então, eu nunca senti isso aqui no Brasil. Minha família é uma “mistura” bem brasileira: meus pais e meu irmão mais velho nasceram em Salvador, eu nasci no Rio de Janeiro e meu irmão mais novo em Campinas. Apesar de ser “teoricamente” carioca e ser “filha de baianos”, nunca gostei muito de ir a praia, nunca gostei de calor e nunca me animei para pular carnaval. Tá, eu sei que o Brasil não se resume a praia, carnaval e calor, mas são três coisas que as pessoas normalmente estranham quando digo que não gosto.

Desde criança meus pais sempre apresentaram para mim e meus irmãos, várias bandas, vários filmes e vários livros e, por algum motivo misterioso, os que mais me marcaram vieram da Inglaterra antes mesmo de saber o que era a Inglaterra. Ainda na minha infância me apaixonei por The Beatles, Elton John, Queen e Spice Girls. O desenho que mais chamou a minha atenção – me assustava e me fascinava ao mesmo tempo – foi Alice no País das Maravilhas (só depois descobri que o desenho era inspirado em um livro), um filme que amava assistir e desejava poder entrar era Mary Poppins (depois também descobri a existência dos livros), era encantada pelo adorável Petter Rabbit e queria muito saber falar inglês tão bem quanto português (e, naquela época, na minha cabeça quem falava inglês era americano).

Lembro que na estante dos meus pais tinha um almanaque e na contra-capa dele tinha várias bandeiras. Eu amava ficar olhando elas e sempre que via a bandeira do Reino Unido pensava “essa é a minha favorita”. Confesso que só depois de muitos anos, percebi que tantas coisas que gosto (música, livros, filmes, série…) vieram do mesmo lugar: da Inglaterra.

Quando encontrei esse “lugar em comum” comecei a pensar “como será que minha vida seria se eu tivesse nascido na Inglaterra?” e a partir daí comecei a sonhar e inventar histórias antes de dormir da minha vida por lá. Durante muito tempo, achava que as minhas chances de conhecer a Inglaterra eram mínimas, mas isso não fez com que meu “encanto” por lá diminuísse e a cultura britânica mais o sonho de passear por lá continuaram me inspirando (e muito).

Ano passado, quando cheguei em Londres, senti como se estivesse dentro de um sonho. Quando comecei a observar a cidade pela janela do carro me senti tão bem que não sei nem explicar. Eu estava praticamente sozinha há milhares de quilômetros da minha casa e não senti medo. Eu me senti em casa. Eu senti como se lá fosse o meu lugar. Esse sentimento foi tão forte que só de escrever essas duas frases anteriores meus olhos se encheram de lágrima. Quando finalmente realizei o sonho de estar em Londres tive uma certeza: eu nasci na família certa, mas no país errado.

Você pode pensar “ah, do jeito que ela é, provavelmente sentiria isso em qualquer país que não seja o Brasil”, mas posso dizer que isso não é verdade. Em 2012 tive a oportunidade de fazer a minha primeira viagem internacional. Passei duas semanas em Orlando e New York e, embora sempre tenha tido vontade de conhecer esses lugares, posso afirmar: me senti bem, mas não me senti em casa lá (a mesma coisa com Paris que também tive a oportunidade de visitar no ano passado).

Não estou dizendo que a Inglaterra é melhor que o Brasil nem nada desse tipo (cada país tem suas qualidades e seus defeitos). Quero deixar bem claro que, apesar de me identificar muito com a cultura britânica e falar tanto sobre ela no blog e nas redes sociais, eu não desprezo o Brasil nem a sua cultura (sei do seu valor). Apenas não me identifico nem me sinto inspirada da mesma forma. E não gosto da ideia nem da sensação de me sentir obrigada a declarar meu amor e homenagear o Brasil só porque nasci aqui (e porque já falo muito da Inglaterra).

Eu respeito o Brasil, sempre serei brasileira, minha língua mãe é o português, as pessoas que mais amo no mundo são do Brasil, mas não é por isso que não posso me identificar mais com outra cultura e país.

Espero que com esse post vocês consigam entender melhor porque falo tanto da Inglaterra e porque estou tão feliz por voltar pra uma cidade que já tive a oportunidade de conhecer sendo que poderia ter escolhido ir para outro país :)

IMG_8462

Obrigada por tudo, pessoal!

xoxo

ps: sei que algumas pessoas me pedem para homenagear o Brasil porque têm curiosidade de saber como eu faria isso e não por estarem me criticando, tá? ❤

Youtube  Instagram ❤ Twitter ❤ Facebook ❤ Bloglovin’ ❤ Pinterest ❤ Tumblr ❤ Goodreads  Flickr

Por

Melina

  1. Karol Fernandes says:

    ”Ano passado, quando cheguei em Londres, senti como se estivesse dentro de um sonho. Quando comecei a observar a cidade pela janela do carro me senti tão bem que não sei nem explicar. Eu estava praticamente sozinha há milhares de quilômetros da minha casa e não senti medo. Eu me senti em casa. Eu senti como se lá fosse o meu lugar. Esse sentimento foi tão forte que só de escrever essas duas frases anteriores meus olhos se encheram de lágrima. Quando finalmente realizei o sonho de estar em Londres tive uma certeza: eu nasci na família certa, mas no país errado.” ,Mel,parece que você tirou isso da minha cabeça,nada descreve melhor (e ainda vc estava em Londres na msm época que eu),o sentimento de estar naquela cidade é único!
    Fico muito feliz que vc estará de volta em breve,espero que aproveite muito.

  2. E se eu também disser que sou fascinado por esse país também? os locais são incríveis, e todos seus seriados,filmes e Músicas são mágicos,sou apaixonado por livros que tem a Inglaterra como cenário (Meu livro favorito se passa no país e cidades semelhantes,que é o circo da noite ♥ Você já leu mel?) Aliás amo escutar Beatles e música britânicas e acho o idioma lindo ( mais ainda não sei,mas tenho muita vontade de aprender e também visitar o país,não morar poque é muito distante da minha família) além de ter uma mini bandeira da Inglaterra que eu fiz para o meu mural de inspirações e um quadro incrível do país
    (é de Londres,tem até a placa do metrô underground no quadro,que você tanto fala mel ♥) meu seriado favorito é Doctor Who ♥ que se passa em Londres..e suas fotos me faz sonhar cada vez mais ♥ Ou seja minhas coisas favoritas que tanto amo tem relação ao país e tudo que eu vejo faz eu amar cada vez mais o país ♥ Falei muito Mel? então quero te dizer que você não é a única que pensa assim..Beijos,Rodrigo *http://fosterjam.blogspot.com.br/

  3. Natii says:

    Amei o post, Mel. Entendo completamente você. Também sou carioca, e moro aqui no Rio desde sempre. Não me identifico nada com a cidade (clima, cultura, música, praia) e nem com o jeito carioca de ser. Já conheci Curitiba, Floripa, Blumenau e Sampa e sou completamente apaixonada por todas essas cidades mais frias do que a minha <3
    Meu sonho é conhecer (e morar em) Londres. Amo seus posts sobre a Inglaterra e imagino como serão meus dias por lá quando chegar a minha vez. Eu sempre fui contra esse 'amor por obrigação'. Não somos obrigados a nos identificar com nosso país ou cidade só porque nascemos neles. Assim como não somos obrigados a amar nossa família (mas eu amo muito a minha) só porque nascemos nela. Amor e identificação vem com o tempo, vai de cada um, e as pessoas deveriam respeitar isso.
    Super curto tudo que você posta referente a Londres e estou muito ansiosa com a sua viagem – aguardando os vlogs!
    Beijos :)

  4. Clara says:

    Essa galera que defende “patriotismo” nem sabe o que é isso. Patriotismo não tem muito a ver com preferir e amar a cultura local, isso é regionalismo, é diferente. Patriotismo é um conceito militar e é muito perigoso. Nos faz pensar e fazer coisas por uma pátria abstrata que nada faz por nós. Pátria não é nada além do ponto geográfico em que nascemos, e não devemos nada a ela por causa disso. Temos todo direito do mundo de se identificar mais com uma cultura do que com outra. Se você se sente confortável no seu país/região de origem, ótimo. Foi um ótimo post, Mel <3

  5. Bárbara says:

    Amei seu post, me identifiquei muito com ele!
    Uma filósofa chamada Rosa Luxemburgo afirmou em “Reforma ou Revolução” que o nacionalismo é o que justifica que apontemos armas para nossos pais e irmãos. É claro que ela escreveu isso no contexto da Primeira Guerra Mundial, mas o que quero dizer com isso é que as pessoas normalmente não param para pensar o conceito de nação e nacionalismo. Não param para refletir, por exemplo, por que o Brasil é o Brasil e não Panem. Ou por que a Inglaterra é a Inglaterra e não Nárnia? Pior ainda, não votam, mas choram em jogos da seleção e querem exigir que uma blogueiras seja mais patriota. A construção das nações e dos nacionalismos tem relações intrínsecas com interesses políticos, sociais e econômicos. Seja na América, seja na Europa, ou em qualquer outro continente. Sendo assim, não podemos esquecer que antes de sermos um número de CPF ou RG, antes das nossas obrigações com o país, somos seres com alma, gostos e opiniões pautados por nossas próprias histórias e pelas histórias daqueles que fazem parte da nossa vida. Vou parar por aqui antes que me chamem de comunista, rs.

  6. Elaine André says:

    Mel, quanto tempo você vai ficar na Inglaterra?

    Eu acredito e torço para que um dia você possa morar lá e continuar realizando seu sonho.
    É tão bom ver alguém que encontrou o seu lugar no mundo, é muito inspirador ver isso em você.

    Continue sendo essa garota original que você é, que não tem medo de expor seus sentimentos e suas preferências, mesmo quando uma boa parte das pessoas irão te criticar.
    Creio que algumas dessas pessoas não entendem que por trás desses posts e fotos existe uma pessoa “de verdade”, com sentimentos, medos, fraquezas e um bocado mais de coisas que não são mostradas aqui.

    As vezes pelo seu twitter eu consigo perceber que essas coisas te deixam triste, mas não fique. Infelizmente, há todos os tipos de pessoas no mundo e é muito fácil criticar usando um perfil fake na internet.
    Não deixe de continuar sendo essa pessoa especial, com ideias e ideais, isso é muito bonito.

    Beijos.

  7. Sinto a mesma coisa, Mel, mas pelos Estados Unidos. Desde pequena, uma atração natural. E eu amo nosso país, mas também não me encaixo nele. Passei 7 meses estudando nos EUA entre ano passado e inicinho deste ano, e era muito engraçado quando vinham me perguntar coisas sobre futebol, praia, carnaval, samba hehehe.. Eu brincava que eu não era um bom exemplar de brasileira pra perguntarem essas coisas, porque eu não curtia muito :) Eles achavam engraçado :D Óbvio que tem gente que também me olha torto, me achando anti-patriota. Mas não é verdade, é simplesmente uma questão de se encaixar no lugar, se sentir em casa. Lá eu me sentia mais em casa do que aqui, era tudo muito fácil, inclusive na questão de comportamento, relacionamentos (amizades). Enfim, quero muito voltar pra lá. Amo meus amigos e família daqui, e é claro que o Brasil sempre estará em meu coração. Mas não é a minha casa.

  8. Cláudia B. says:

    Que texto lindo! Adorei o seu desabafo, Mel. Eu penso assim como você. Eu gosto do Brasil, mas o mundo lá fora me encanta muito mais. Ainda não me encontrei aqui, e olha que essa já é a quarta cidade em que moro… :x

  9. Karina says:

    Mel sinto a mesma coisa, não me acostumo. Você expressou muito do que sinto, não achei o meu lugar ainda mas, tenho certeza que não é aqui. E você faz muito bem em não se deixar levar pelas opiniões, e não minimizar seus sonhos por causa do pensamento dos outros, te admiro muito por isso. bjs

  10. Vanessa says:

    Mel, te entendo perfeitamente… Também tenho a sensação de que nasci no país errado! E quase entrei em crise na faculdade por causa disso, isso porque, para o meu trabalho de conclusão, tinha que escolher um artista ou movimento artístico brasileiro para pesquisar e não conseguia me identificar com nada do Brasil. Não por acaso, os meus artistas favoritos todos são quase tds ingleses ou franceses, sofri muito com isso e quase abandonei a faculdade, até que pensei: Preciso fazer isso, é o meu futuro que está em jogo! Moro a 23 anos no Brasil e deve ter algo por aqui de que eu goste… Finalmente consegui escolher um tema que incluía o Brasil, mas sem excluir totalmente a Inglaterra, já que tenho várias referências de lá. E agora estou terminando de redigir o último capítulo. Criei, por hábito, sempre visitar o seu blog antes de escrever e me ajudou a ter entusiasmo, já que via que eu não era a única que se sentia uma estranha no ninho… :)

  11. Camila says:

    Oi, Mel!
    Sabe, quando eu comecei a pesquisar sobre outras culturas e me interessar por isso, também percebi que não me identifico com a do nosso país, por isso entendo o que você sente. Amo história, mas sempre a dos outros países parecem mais interessantes, acho que isso é coisa de gente curiosa, você não acha? Porque a nossa cultura nós já conhecemos por vivência, agora aquelas distantes são tão fascinantes justamente por serem desconhecidas… Eu sinto isso pela Irlanda, ainda não tive a oportunidade de conhecê-la, mas sempre que vejo algum filme, reportagem, qualquer coisa relacionada àquele país, sinto um aperto no peito e lágrimas nos olhos, uma saudade imensa de algo que não vivi (deve haver uma palavra em alemão para isso rsrs) e a música então? Acho que são mestres em tocar a alma com música… Mas enfim, assim como você sinto a necessidade depois deste comentário em forma de texto, de dizer que amo meu país, não é por sentir algo tão forte por um lugar tão distante, que não sinta um imenso amor pelo Brasil…

    • Stephanie says:

      Sou estudante de História e a conclusão que cheguei até agora é, em primeiro lugar: a História dos outros países é mais interessante pq esses países são mais velhos. Nós somos muito novos num sentido de ~real liberdade~… Não há muito o que ser dito quando pensamos sob uma ótica global, não tivemos idade média e filmes grandiosíssimos sobre o Rei Artur e a Távola redonda, hehehe.
      O estudo de História no Brasil tb é relativamente novo. Quando as universidades surgiram aqui, estudava-se a história da Europa. Bom, não preciso nem dizer o porquê disso, né?
      Lá pelo começo da idade moderna o homem europeu se via como Adão. Há uma teoria de que existiria um passado anterior a Adão e que este passado justificaria a existência do homem americano. O homem americano é um passado não-desenvolvido do europeu, entende? É aquela ideia de “leia, estude, um dia você será assim tb” que está por trás de um discurso que se estende aos dias de hoje e que já justificou muita exploração por aí. :p Há um filme interessantíssimo chamado Vênus Negra que eu gosto de recomendar à todas as pessoas e que me faz pensar bastante sobre toda essa bondade e educação seculares londrinas.
      Bem, nós somos educados a acharmos esses países melhores em todos os aspectos (TO-DOS. Eu, por exemplo, acho Beatles uma das bandas mais fraquinhas e bobinhas da vida, mas tão aí, fazendo sucesso até hoje). Nós somos os corruptos, os incultos, etc etc etc etc. Acho uma pena, né. Pro nosso próprio desenvolvimento e mesmo para nossa auto-estima. Tive a oportunidade de ir a Londres algum tempo atrás e achei duas coisas: cara e fedida. Mas é aquela coisa: cada um no seu quadrado.

  12. Eu achei uma pouco desnecessário você ser obrigada a explicar tudo isso. Em todos os seus posts fica bastante evidente que você tem um carinho muito especial pela Inglaterra, mas em absolutamente momento algum você falou que odeia o Brasil.
    É perfeitamente normal a gente se identificar mais com a cultura de outro lugar, ninguém é obrigado a idolatrar o lugar onde nasceu.
    E eu tenho certeza que, por mais que você diz amar a Inglaterra e querer morar lá, se viesse alguém de fora criticando e xingando o Brasil, aposto que você iria defendê-lo.

    Ótimo post como sempre Mel! :)

    Beijos,
    Livro de Memórias

  13. Oi Mel, gostei muito do seu texto, tenho muita vontade de conhecer a Inglaterra de tanto que você falou!!! Espero muito um dia conhecer que nem você conheceu!!! Aproveita muito essa viagem!!!! Amo o Spock, ele é muito fofo!!!!
    Beijos!!!!

  14. laura says:

    Seria muito legal você homenagear o Brasil de vez em quando, até mesmo para as pessoas que te acompanham que não são brasileiros, já conversei uma vez com uma garota que morava em Chicago e estávamos conversando e ela me falou que te acompanhava e tal e eu comentei que você era da mesma cidade que eu e que eu queria muito me encontrar com você por ai, e ela ficou pasma e disse: “OMG! Really?? I didn’t know that she are brazilian!!! She doesn’t look like a brazilian, she never say a thing about brazil, I think that she was british or american! Wow, this is really weird O.o” (copiei da nossa conversa por facebook).
    Acho que seria bem legal você falar um pouco sobre o Brasil de vez em quando, ate mesmo para os gringos conhecerem um pouco mais sobre esse pais (que eu amo muito mais do que qualquer outro) por seu ponto de vista, que é muito diferente e especial.
    Beijos

    • Luana Borges says:

      Mel, antes de qualquer coisa quero pedir desculpas a você pra responder esse comentário mas se eu não fizer acho que tenho um treco kkkk e quero muito que você aceite porque não vou ofender sua leitora nem ninguém mas não dá pra ficar calada ;)

      1- Laura muito lindo você amar o Brasil “muito mais do que qualquer outro país”, tipo nada contra mas você acha mesmo que os gringos precisam que a Mel ou outras blogueiras brasileiras falem sobre o Brasil sobre o ponto de vista delas? pra isso existem sites especializados. No caso da Mel o blog é tipo um diário pessoal e acho que ela fala do que acha interessante, do dia a dia dela, nunca vi algum post falando mal sobre o Brasil, que odeia o Brasil e tal.

      2- Essa pergunta não quer calar: Laura, tem certeza de que essa sua amiga que não é brasileira e mora em Chicago acompanhava mesmo a Mel? Se acompanhava ou acompanha veria que a Mel escreve num português correto, coisa que dificilmente uma gringa faria nem quando está começando a falar. Já a sua amiga escreve num inglês cheio de erros até pra mim que não sou expert na língua: “OMG! Really?? I didn’t know that she are brazilian!!! She doesn’t look like a brazilian, she never say a thing about brazil, I think that she was british or american! Wow, this is really weird O.o” essa conversa que entre vocês no facebook está bem estranha, dentre erros bizarros e inaceitáveis de concordâncias esse “she are” doeu kkkk

      3- E já que você tem a felicidade de morar na mesma cidade da Mel quem sabe vocês se encontram um dia e assim como eu (que a conheci aqui em São Paulo e confirmei a pessoa linda que ela é) vê que mesmo parecendo uma gringa é uma brasileira que vai ser sempre motivo de orgulho pra o país independente de fazer ou não posts enaltecendo o Brasil.

      4- Beijo pra você e pra quem teve a paciência de ler essa minha resposta enorme ;)

    • Renata Lorenzzo says:

      Laura não querendo fazer intriga mas essa garota de Chicago deve tá de zoação com você, sério garota eu sei o básico de inglês e nunca na minha vida ia conjugar she com are, o verbo To Be é o primeiro que a gente aprende, fora outras atrocidades com a língua que ela cometeu to pasma! ela não deve bater bem com a cabeça, a Mel escreve em português por que raios uma britânica ou americana ia escrever em outro idioma que nem é universal? sei não mas really weird deve ser ela # ficaadica

  15. Luisa says:

    Mel, pq vc não ta postando mais (quantidade) looks do dia como antigamente?

  16. Kamila Gonçalves says:

    Oi Mel,

    sempre leio seu blog mas nunca comento nada mas dessa vez foi difícil ficar calada. Só queria dizer que super te entendo, ainda não tive a oportunidade de conhecer a Inglaterra pessoalmente mas me identifico com toda a cultura daquele país. Assim como você também acho que nasci no país errado. Sou de Goiânia-GO e sempre tive que escutar como sou maluca por ser do centro-oeste do país e não gostar de música sertaneja. Achei muito legal você falar do almanaque que tinha as bandeiras, na casa do meu avô também tinha um almanaque assim e eu também adorava a bandeira do Reino Unido. :)

    bjs

  17. Milena says:

    Eu te entendo perfeitamente.
    Eu amo meu país, amo ser brasileira, a cultura e os lugares daqui. Mas também não me sinto no lugar certo. Desde pequena sempre amei o idioma inglês. E também só achava que inglês só era o americano. Sinto a necessidade de conhecer o mundo e me identificar com algum outro país.
    Tenho muitos sonhos e um deles é conhecer/morar no Reino Unido. Aprendi com você a amar esse lugar tanto quando aqui.
    A cultura me fascina o sotaque britânico então *—–* é amor.

    As pessoas realmente não entendem (por esse motivo, nunca falei pra ninguém do meu sonho, porque as pessoas vão julgar, menosprezar e rir que eu sei).

  18. Fernanda Kelly says:

    Sei exatamente o jeito como você se sente! Algumas pessoas não entendem quando eu falo que não pertenço à cidade em que moro. Meu sonho é mora em LA, mas as pessoas ficam falando que é besteira minha e que tenho que aceitar que moro no Brasil e que nunca vou sair daqui.

  19. Concordo que a casa de uma pessoa é onde está seu coração. O engraçado é que, diferente de você, quando fui à Londres senti que o lugar era exatamente o oposto de tudo que eu gostava aqui no Brasil. Sempre fui muito patriota, mas só depois de fazer minha primeira viagem internacional percebi que aqui me sinto realmente em casa.

    http://porenseetcs.blogspot.com/

  20. Maria Luiza Neves says:

    Acredito que cada coração pertence a um lugar específico e o seu escolheu pertencer a Terra da Rainha.
    A cultura inglesa é, para mim, a mais apaixonante. Me emociono sempre que vejo referências ao Reino Unido e me considero parte daquele lugar (mesmo sem ainda tê-lo conhecido).
    Espero que você tenha uma bela viagem e que possa ter momentos lindos no lugar ao qual você pertence. Não deixe que comentários negativos afetem seu coração e sua mente.
    Como diz minha mãe: “Tome cuidado, pois sonhos se realizam”. <3

    Beijos,
    Malu

    • Layni says:

      Oi Maria Luiza!Desculpa a pergunta,mais essa foto sua de perfil,é real?Digo,foi tirada mesmo com o Louis?Se sim,foi no Brasil?Eu acho muito engraçada a cara dele,pareceu tão simpático :) Não sei nem se você ainda vai ler essa pegunta!

      PS:Mel,ótimo post!Sinta-se livre para ser quem você é,é um eu seu incrível :))

      • Maria Luiza Neves says:

        Oi, Layni! Essa foto é real sim, mas a garota não sou eu hahaha É a namorada do Louis, chamada Eleanor. Eu tenho um amor por essa foto e a coloquei como avatar de comentários há muito tempo. Como não consegui mudá-la, deixo-a embelezando os blogs alheios. :) Pelo que me lembro, a foto foi tirada no Japão na turnê Take Me Home.

  21. Leticia says:

    Entendo bem o que você sente porque é assim que me sinto. Sonhei por anos estar na Inglaterra, to morando em Londres desde maio, mas vou ter que voltar daqui 3 semanas pro Brasil e já to em desespero. E as pessoas nunca entendem e ficam bravas quando digo que por mim eu não saia daqui e que ainda vou voltar pra ficar.
    É uma pena que você esteja vindo agora que estou voltando, seria legal se eu cruzasse com você por aqui (:

  22. Rosana Mendes says:

    Mel, desde de quando você começou a ler pensamentos (e ler pensamentos de quem você nunca viu antes). As pessoas da minha família estranham muito quando eu falo com tanto entusiasmo da Inglaterra, queria que eles me apoiassem como a sua família te apoia, acho nasci no pais e família errada.
    Divirta-se por mim…

  23. Vanessa says:

    Me sinto exatamente assim Mel!! Sempre tive uma identificação e uma paixão pela Inglaterra e por tudo que ela representa, já estive duas vezes por lá (inclusive na primeira delas em 2012, estudei na Avalon também!) e sinto como se lá fosse meu lugar de verdade. Não importa o quanto eu tente deixar meu quarto mais british ou cultivar os mesmos hábitos que eles por aqui, nunca é o suficiente. Sinto como se sempre faltasse alguma coisa! :(

  24. Natalia says:

    Mel, me identifiquei bastante neste post. Não tenho um país, digamos, favorito, mas sofro a mesma coisa com a questão da língua inglesa. Nunca fui de gostar muito de músicas, filmes e programas brasileiros (com exceção de alguns), e por conta disso muitas pessoas ficam revoltadas quando digo isso, dizendo até que eu deveria me mudar de país.

    Eu acredito que o nosso coração é algo quebrado em mil pedacinhos, dos quais entregamos um pouco para cada coisa que gostamos. Eles se distribuem por um globo inteiro e, sempre vai ter um lugar com mais pedaços. É lá que nossa alma se sente mais feliz (ressaltando que nunca vai se sentir completa) porque a maioria dos pedaços estão ali, acessíveis a ela. Como você mesma disse, parte de você está aqui, com as pessoas que você ama e a outra está em Londres e suas coisas favoritas, e deve haver mais lugares. E é exatamente isso que o pessoal que faz os comentários te criticando não percebe. Nós somos feitos de pedaços e não temos controle sobre eles, afinal se tivéssemos e todo mundo resolvesse gostar das mesmas coisas, o mundo não teria a graça que tem.

    Mel, te admiro exatamente por não esconder seus “pedaços”. E saiba que estou muito ansiosa para ver os posts de Londres, principalmente da TARDIS!

    Beijos!

  25. Amanda Silva says:

    Toda vez que vejo você escrevendo a palavra “desabafo” sinto como se alguém a tivesse magoado, e fico extremamente triste, mais uma vez vejo pessoas te criticando por suas escolhas o que pra mim soa um tanto quanto antiquado. Amo o blog por você amar a Inglaterra, terra essa que não tive ainda a oportunidade de conhecer e não vejo a hora de você viajar pra viajar junto com você. Mel ame o que quiser e o lugar que quiser ;)

  26. Victoria says:

    Oi Mel! Eu passo pela mesma coisa todos os dias. Assim como você, tive a oportunidade de estudar na Inglaterra. Morei no sul da terra da Rainha e me senti em casa tanto na cidadezinha quanto em Londres. Apesar de falarem que os ingleses são frios, a cidade me acolheu de uma forma maravilhosa e a sensação que tive quando andei pelas ruas de todas as cidades que visitei naquela ilha foi que eu passei minha vida inteira lá e a vida que eu tinha aqui no Brasil parecia ser de uma outra, mais distante. É estranho e ao mesmo tempo bom. É sempre bom darmos valor a cultura da nossa terra mãe, mas como você disse, não temos obrigação de nos identificarmos com ela. =)
    Beijos e boa viagem!

  27. Isabella says:

    Oh Mel, sempre senti exatamente isso! ❤ Também sou apaixonada pela Inglaterra desde criança e entrei no curso de inglês com 6 anos, e olha que minha mãe sempre amou a Itália e meu pai os Estados Unidos haha. Mas estou muito feliz que você irá para o meu, e claro, o seu país favorito!! Yay!! Aproveite por mim que daqui uns anos (vou fazer 17) irei morar lá e espero te ver na sua casinha! Beijos e best wishes :*

  28. Mayra Cristina says:

    Oi Mel . Quero dizer que assim como você amo a Inglaterra não sei porque mas desde de pequena eu gostava de lá sou fã de bandas de lá de filmes tudo relacionado a Inglaterra me agrada e eu sinto o mesmo que você não e que eu desvalorize o Brasil muito pelo contrário e só que eu sinto algo de especial pela Inglaterra e não sei explicar .Nunca estive lá mais se Deus quiser estarei .

  29. Lívia says:

    Ihh Mel, acho que isso é coisa de outras vidas, hem? hahah
    Mas realmente, foi bom esse seu desabafo, pq a gente “homenagear” o Brasil só pra não ser criticada e “ain vc não é patriota mimimi” não dá né? Também amo o Brasil, mas minhas bandas favoritas são estrangeiras… acho a música brasileira em sua maioria muito… melancólica, sei lá… Não me deixa feliz :x Aposto que muita gente que te segue é fã de mais coisa estrangeira do que nacional, inclusive essas que te criticaram e.e
    Só não gosto quando as pessoas têm aquela “síndrome de vira-lata”, que vivem dizendo “ain o Brasil não presta, tudo no Brasil é ruim, tinha que ser no Brasil”… E definitivamente, Mel, vc não é essa pessoa. Ainda bem, né?
    E outra: já vi vc falando de coisas nacionais por aqui sim! Inclusive música e literatura (vide sua querida Paula Pimenta)!

    Enfim, seja feliz com sua viagem e mostra tudo que puder pra gente que tá ansioso pra te acompanhar :3

    Beijin ;*

  30. Simone Ferraz says:

    Adorei o post, Mel!!!
    É isso aí… vc tem o direito de sentir o que sente pela Inglaterra… Se alguém ficar aí te amolando, dá bola não… E curta muito sua Inglaterra na próxima viagem e em muitas outras que virão!!!
    Eu não passei pelo o que vc passou, mas desde bem novinha tinha loucura para conhecer os Estados Unidos e depois de mocinha e acho que por causa do seriado Sex And The City, passei a ter loucura para conhecer New York!! Esse ano eu fui lá e me emocionei muito, parecia que estava em um sonho mesmo andando por lá… Mas no meu caso, eu amo o Rio de Janeiro e me sinto em casa aqui… O que não me impede de falar muito de lá (NY) também… :-)))
    Aiii tão bom viajar!! E sonhar!!! :-D

    Beijos,
    Simone.

  31. Laís says:

    Mel, que texto maravilhoso. Acho que algumas pessoas encaram o seu amor por Londres como um tipo de “desprezo” pelo Brasil, porque infelizmente várias blogueiras/vlogueiras parecem que fazem questão de enfatizar o quão somos inferiores em relação a alguns países e culturas, e isso soa péssimo, principalmente pra quem nunca saiu do Brasil. Temos desigualdades, mas tbm temos muitas virtudes como todo lugar do mundo.

    Morro de vontade de conhecer vários países, mas acho pouco provável que me sentiria em casa como sinto no Brasil e no meu Nordeste <3 Mas se vc foi pra Londres e sente que lá é seu lugar no mundo, tá certíssima em ir pra lá Mel, afinal estamos aqui pra fazer oque agt ama :)

  32. Denise says:

    No meu mundo (utópico) não existiriam fronteiras. As pessoas poderiam viajar e conhecer todo o planeta Terra, desde que RESPEITASSEM e MUITO qualquer canto e qualquer cultura. Eu sou bem patriota. Amo o Brasil, mas tenho uma vontade gigante de conhecer a Disney, alguns países africanos, a Inglaterra e o Japão, esse último desde pequena, principalmente pela tecnologia. Entretanto, sei que sentiria falta daqui. O calor, o carnaval (sim, eu amo), o sol brilhando durante vários dias me dando alegria, a língua portuguesa que me conforta tanto… Mas acredito em identificação. Eu me identifico com o Brasil, da mesma forma que você com a Inglaterra, e que outras pessoas com outros lugares. Concordo contigo: o importante é saber que existem coisas boas e ruins em qualquer país, e respeitar onde nasceu. De resto, cada um tem que buscar sua felicidade. Essa coisa de fronteiras me enche Fico desapontada. É tudo nosso, pra que dividir tanto, né? Pra que limitar tanto as idas e vindas de uma vida só? Seria tão mais rico culturalmente se pudéssemos ir e vir sem problemas – leia-se “sem problemas” junto de “com regras a serem seguidas” e “limites estabelecidos para não ferirmos o que é do outro” -, ficar naquele espaço que nos faz bem e que nos completa, desfrutar de outras experiências. Quem sabe daqui a alguns séculos isso não ocorra. Enquanto isso, continue postando coisas sobre a terra da rainha, hahahahaha. Eu, que ainda não posso ir até lá, fico conhecendo por aqui. Você ajuda e inspira muito quem quer chegar lá. <3

  33. Letícia says:

    Mel, eu sou baiana e odeio praia, calor e principalmente o carnaval. Cresci ouvindo queen (a minha mãe é muito fã deles, tipo muuuuuuito mesmo, ela sabe tudo sobre eles haha), e Elton John (por causa da minha avó, e até fomos no show dele que teve aqui em Salvador esse ano). Sem falar que o meu Bisavô era britânico. Ou seja, cresci indiretamente sobre a cultura inglesa. Eu nunca fui a Inglaterra, mas está em primeiro lugar na minha lista de lugares para visitar. E seus posts sobre lá só me deixam mais apaixonada. Mal vejo a hora de realizar o sonho de visitar a terra da rainha haha.

  34. Lara Borges says:

    Esse post resumiu minha vida <3

  35. Jessica M says:

    Infelizmente eu nunca tive a chance de conhecer outro país. Mas nunca senti que pertenço a esse lugar. Não sei, sempre que vejo coisas que brasileiros fazem aqui e vejo como os europeus reagem a isso, é totalmente diferente. Aqui as pessoas não vêem as coisas erradas, não lutam por isso, tem muita coisa errada e o Brasil tinha tudo pra ser de 1° mundo.
    Outra coisa é que não suporto calor!!! E minha alergia também só melhora quando o clima está úmido e frio (coisa que aqui quase nunca acontece). Mais um motivo que eu acho que me daria bem em Londres! rsrs
    Patriotismo não tem nada a ver com você se sentir bem em outro país. Entendo perfeitamente o que quer dizer!
    Spock fofo <3
    Beijos!

  36. Daniela says:

    Uau!! Eu sinto a mesma coisa!! Em Londres me sinto em casa, e no Brasil, não!!

  37. Falou muito bem!!! :))
    Que coisa chata isso de ficarem sempre enchando pra que a gente tenha essa supercoisa com ser brasileiro.
    Cada um tem o direito de se sentir como se sente em relação a seu país e outros lugares, ora!
    Um dos meus maiores sonhos é morar em um lugar frio e tenha muito dias chuvosos e nublado. Simplesmente amo dias assim. :)
    Tudo de bom pra você e que você logo realize o seu sonho de ir morar na Inglaterra. Beijos.

  38. Valentina Trebbi says:

    Mel você pensa em morar em Londres?☺️

  39. Camila says:

    Mel…me diga uma coisa…você gosta de músicas brasileiras? Eu acho que nunca vi você mencionar músicas ou bandas daqui…
    E pelo que percebi de seu gosto musical (que é quase igual ao meu :D) acredito que você possa gostar, pois acho que tem muitas maravilhas na música do nosso país…sou apaixonada por mpb (Chico Buarque, Eliz Regina, Oswaldo Montenegro, Toquinho, Marisa Monte…) e tem muitas bandas de rock nacional tbm muito boas.
    Bjos sua linda!!!!! <3

  40. Hanna says:

    Acho que se tivesse que escrever um texto sobre o assunto, seria assim (apenas colocando a Inglaterra no tempo futuro, hehe, pretendo fazer intercâmbio pra lá ano que vem). Mesmo mesmo. É bem complicado essa coisa de afinidade e patriotismo, pois as pessoas confundem muito :l
    Me incomoda bastante, até mesmo na faculdade, ser taxada de “não gosta do Brasil”, porque você não faz isso, faz aquilo, diz isso, etc. É algo absurdo e injusto, eu acho. Acho que as pessoas têm uma forma muito estereotipada de julgar alguém patriota e, se você não se encaixa, pronto, já despreza o lugar onde nasceu.
    Existem muitas formas de se demonstrar amor pelo seu país. Ano que vem começo minha preparação para a carreira diplomática. Um dos meus grandes sonhos (como ir pra Londres) é representar o Brasil no exterior. E ainda te chamam de anti-patriota.
    Agora, qual o raio do problema de se sentir em casa em uma outra cultura/país? Isso não anula nada, ai ai. É exatamente como você disse: “Eu respeito o Brasil, sempre serei brasileira, minha língua mãe é o português, as pessoas que mais amo no mundo são do Brasil, mas não é por isso que não posso me identificar mais com outra cultura e país”.

    Acho que ficou grande esse comentário, mas me senti compelida a escrever aqui (quase não comento, mas sempre vejo tudo. E acho tudo lindo, haha) :D Adoro o blog, as fotos, os livros, tudo :))

    xoxo (daqui de Manaus)

  41. Ah Mel, eu te entendo! Te entendo porque também já reclamaram muito de mim, porque eu não me identifico com a cultura brasileira, e sim com a espanhola. Infelizmente ainda não pude visitar a Espanha, mas é uma coisa que não tem como explicar, sabe? Sempre tive paixão pelo país e sou fascinada por tudo que vem de lá. Pra dar um exemplo, isso acontece até com a comida: sou viciada em comida espanhola e não curto muito comidas daqui do Brasil. Quando tem jogo de futebol de seleções começa o bullying por eu torcer pra Espanha, aí as pessoas falam “você só torce pra ser do contra”, mas não! Elas não entendem que eu me identifico e me sinto pertencente à Espanha (não que eu não pertença de fato, meus bisavós são de lá). Não é porque eu sou brasileira que eu sou obrigada a me identificar totalmente com a cultura daqui e também não é porque sou louca pela Espanha que eu vou deixar de ser brasileira, isso as pessoas não conseguem entender. No mais, consigo ver seu amor pela Inglaterra estampado na sua cara! Lembro de quando você estava planejando sua viagem pra lá e você estava tão eufórica… espero que quando eu for visitar meu país favorito eu me sinta em casa como você se sentiu na sua amada Inglaterra!

    Beijos, Mel!
    http://devoradoradelivros.com

  42. Daniela Alexandrino says:

    Oi Melina, tudo bem ?
    Há cerca de uma ano atrás, minha melhor amiga disse:” Tem um blog de uma garota que me lembra você, especialmente porque ela ama a inglaterra…”
    Fui bisbilhotar e encontrei o Serendipity. De cara levei um susto, pois você era a alguém que tinha gostos muito parecidos com os meus, inclusive o amor pela Inglaterra. A visão que você mostrava dos sonhos ingleses, mesmo nunca estando lá, me surpreendeu.
    Por esse motivo passei a acompanhar seu blog, e cada vez mais fui me identificando e entendendo sua vontade de conhecer o que estava separado por um Atlântico. Acaba sendo uma necessidade conhecer um lugar em que você sonhou estar desde quando nem sabia que a vida poderia te impor dificuldades.
    Melina, eu também achei que nunca conheceria a Inglaterra, não por falta de vontade, mas sim, devido a condição financeira da minha família.
    Há 4 anos resolvi lutar pelo meu sonho. Estava no 3º ano do ensino médio e resolvi juntar o útil ao agradável,ou seja, cursar um curso universitário que iria me fazer bem e me ajudar a ganhar dinheiro para conhecer a terra dos Beatles. Nesse ponto, me identifiquei mais ainda com você, Mel. Você faz o que ama e indiretamente acaba conseguindo realizar o que tanto quer.
    Bom, ainda não viajar para a Inglaterra, pois não terminei meu curso… São 6 anos de uma longa espera.
    O meu amor por esse país, está estampado em cada cantinho da minha vida. Desde as referências musicais até as comportamentais.
    Há algum tempo resolvi que quando terminasse meu curso, iria fazer uma especialização lá fora, assim poderia viver pelo menos um ano em Londres. Minha mãe achou um absurdo e questionou se eu realmente amava o Brasil, porque eu parecia ser alheia as tradições daqui. Então, pedi apenas que ela olhasse em tudo que estava relacionado comigo: meus livros, minhas músicas, minhas roupas, meu jeito. Ela acabou dizendo que a Inglaterra estava na moda e que era uma fase minha. Na verdade, escuto isso todo o tempo na faculdade. Sabe, não é uma fase…É um uma vontade que estava aqui dentro, antes mesmo, de me dar conta que o lugar por onde eu andava nos meus sonhos mais lindos existia. Infelizmente, concordo… A Inglaterra está na moda, o que acaba sendo um empecilho, porque as pessoas gostam de interpretar as coisas de forma generalizada.
    Melina, sempre vai ter gente questionando o que fazemos ou deixamos de fazer. O problema será quando você se questionar da sua vontade, coisa que eu duvido muito que vá acontecer com você!
    Fiquei tão feliz em ver o quanto você estava apaixonada, feliz e leve na sua primeira visita a Londres. Pensei: um dia também irei e talvez queira ficar lá até ficar velhinha.
    Quero te dizer OBRIGADA por compartilhar todos os seus desejos, experiências e planos. Aprendi muita coisa sobre esse país. (Obrigada por me apresentar o Twinings! Sério! hahahahahah)
    Mel, você é a pessoa mais inglesa sem ser inglesa que conheço! Faça justiça a isso e não ligue para as críticas.
    Curta muito a sua viagem. Publique muitas fotos, porque assim, posso sonhar que minha espera para me formar acabou e estou em Londres me sentindo tão feliz quanto você! (Escrevi esse desabafo escutando London do She&Him). How I could have felt so low…Oh London, I’ll forget you
    So I’ll never have to go…
    Te desejo a melhor viagem do mundo!

  43. Andressa says:

    Oi, Mel! Também me sinto bastante assim. Não me identifico com calor, praia, carnaval, futebol, nem sertanejo ou pagode, nem várias outras coisas. Isso não quer dizer que eu desprezo o país, só não me identifico com esses elementos. Uma das coisas que gosto por aqui é o negrinho (brigadeiro)! haha A comida é bem boa. Enfim! A Inglaterra é um lugar que sonho em conhecer. Um abraço!

  44. Nicole says:

    Muito bem Mel! Eu também não gosto de carnaval e de calor… Mel, (Só pra deixar claro, eu nunca fiz um comentário horrível desses, tá?) eu nunca passei por essa sensação de se sentir em casa em outro país porque simplesmente tenho dez anos e o máximo que eu fui pra fora do Brasil é o Paraguai. :I Mas acho muito lindo você se defender assim sem xingar ninguém (como muitas pessoas fazem…) e sem criticar ninguém. Você pode ter nascido no Brasil, mas tem TODO (TODO MESMO) o direito de se sentir em casa em Londres. Parabéns Mel, essa foi a defesa mais linda que eu já vi. Tem pessoas que saem tipo ‘ O QUERIDO, PRA SUA INFORMAÇÃO…’, chega batendo boca. Parabéns! (Amo seu blog!! S2)

  45. Naiara says:

    Olá Melina, sinto a mesma coisa em relação à Inglaterra. Há aquela famosa frase: Home is where your heart is.
    Mas não foi por isso que resolvi comentar… Até hoje você não publicou todo o material sobre sua viagem para Londres. Sei que deve haver muito mais a ser publicado, pois você ficou um mês lá né… Estou comentando isso porque fiquei bastante ansiosa pelos registros (mesmo já conhecendo a Inglaterra pessoalmente, queria ver os SEUS registros). A maioria das coisas que você publicou foram sobre a escola, pessoas que conheceu… (Sei que você foi pra lá para estudar, mas deve ter feito muito mais que isso…) Queria ver mais fotos de lá, dos monumentos, dos lugares que você visitou…Se não for pedir muito… :/ Abraços

  46. Luisa Zelenovsky says:

    Oi Mel! Por posts como esse e muitos outros que eu amo seu blog! Eu me identifico muito com você, também sinto essa sensação que eu não deveria estar aqui, deveria estar lá na Inglaterra… Já fui lá uma vez e sonho em ir outra vez, e fico muito feliz que você vai visitar esse país maravilhoso de novo!
    P.s.: quanto tempo você vai ficar lá?

    Beijos

  47. Rafa says:

    Oi, Mel!

    Faz pouquinho tempo que descobri o seu blog (uma história muito divertida!, porque fui procurar pela palavra “serendipity” e tive uma serendipity achando o seu blog!), e nem sei como dizer como tudo isso me inspira. É como uma daquelas histórias em que a gente conhece um estranho e sabe que, na verdade, não é um estranho, e sim uma pessoa que entende a gente.

    Eu tenho uma história muito parecida com essa sua sobre a Inglaterra, tirando a parte de já ter podido visitar – mas guardo a esperança no cantinho mais querido do coração. Um apego (ou como quiser chamar) com esse lugar que não sabia onde era, desde de criança… E quanto mais eu sei, mais eu sonho em visitar. Até tenho certo receio de falar abertamente sobre isso, porque sei que nem todo o mundo entende, e que muita gente banaliza.

    Mas, bem, o que quero dizer é o seguinte, e espero que você possa ler e tomar para si: você tem casa em Londres, mas em algum lugar por aqui, no Brasil, deve ter um lugar para chamar de casa também. Eu não sei o quanto conhece daqui, mas sei que você sabe que nesse país tem muito mais que calor, praia, futebol e carnaval. Talvez você nunca sinta nada parecido com o que sente pela Inglaterra, é verdade. Mas vale a pena procurar. O que eu conheço (e conheço muito pouco), meu Deus… Tem coisa tão bonita aqui. Coisa de encher o coração e os olhos. Encheram os meus, e espero que um dia possam encher os seus também.

    Mas não se preocupa, a gente entende. Home is where your heart is.

  48. Luana says:

    Querida Mel, me identifiquei completamente com as suas palavras e conheço perfeitamente este sentimento. Acho que as pessoas são muito precipitadas em julgar algo que não compreendem direito. Quando amamos alguma coisa, não deixamos de amar outra por isso. Ambas tem o seu espaço e sua importância para nós. Espero que a sua viagem para Londres seja maravilhosa e que você seja muito feliz por ter encontrado o seu lugar no mundo.

  49. Marina says:

    Mel, tu é incrivel, amo suas fotos e textos! Me deixou com mais vontade ainda de conhecer a Inglaterra! Ah, continue com essa sua magica garota<3

    http://www.thetrashion.com/

  50. BelaHanajima says:

    Me identifiquei com o texto, Mel. Eu também não me sinto em casa no Brasil, nunca me senti. Me sinto meio “deslocada” aqui e sempre questionei isso. Eu sou apaixonada pela Inglaterra e pelo Japão e gostaria muito de morar, nem que seja um mês, em cada um desses lugares pra ver se essa sensação de “não-pertencer” ao Brasil é só um encanto por outros lugares mesmo. Quando fui a Londres também tive esse sentimento de pertencer àquele lugar, esse sentimento de amor de que “estava com saudades” mesmo nunca tendo estado lá. E em nenhum dos lugares que viajei do mundo (e não foram poucos) eu senti isso. Esse sentimento de pertinência, esse “monstrinho apaixonado por Londres” dá um pulo no meu coração toda vez que vejo uma foto de quando estive lá, toda vez que lembro de um momento da viagem… É incrível, as saudades (agora depois de já ter visitado) estão aqui, dia após dia, esperando o dia que poderei voltar lá.

  51. Gabi Assis says:

    Olá Mel,
    Eu compreendo seu sentimento não não partilhar integralmente da cultura brasileira em seu sentido mais clichê, como carnaval, funk e futebol. Eu também não abraço a mesma com todo amor, muito pelo contrário, me identifico muito mais com a cultura da Europa Ocidental, por isso escolhi morar na Bélgica.
    Tenha um ótimo dia =)

  52. Julia Loureiro says:

    Nossa Mel, me identifiquei muito com esse post, separe tive que ouvir o quanto eu não era patriota e blablabla. É muito bom saber que alguém entende esse sentimento de ter nascido no pais errado kkkkkkkkkkk e como vc disse, não e que o Brasil seja um pais ruim, e so que não me identifico mesmo.

  53. Nossa, Mel. Eu entendo o que vc escreveu. Também não me sinto tão “em casa” no Brasil. Mas também não tenho um lugar pra dizer que é “o meu lugar”, assim como a certeza do seu sentimento por Londres. Além do agravante de eu tb não gostar de Carnaval/sol, eu nasci em Goiás, e, aqui, moro há 25 anos, mas odeio sertanejo. E aqui só se toca esse estilo de música! Todo mundo que acaba de me conhecer e descobrir que sou de Goiás me pergunta se eu gosto de xxxx dupla sertaneja, e eu nem sei quem são essas pessoas. Se ouvir a música, nem sei dizer quem está cantando.
    Fica em paz! Continue gostando da Inglaterra =) E traga muito conteúdo britânico para suas leitoras que se interessam pela cultura de lá. Beijo!!

  54. Ahh totalmente compreensível! Acho que ainda não encontrei minha ‘casa’. Nasci no Rio e sempre morei em SP e não me sinto fazendo parte de nenhum dos dois lugares. Para os cariocas eu sou paulissssta, para os paulistas eu sou carioca e pra mim eu não sou daqui! hahah

    Mas ainda vou descobrir.. quem sabe Itália, Inglaterra, Portugal ou Alasca? :D

  55. Susani says:

    Ai que coisa! Cada um gosta do que quiser e ninguém tem nada a ver com isso! Desde que não faça mal para ninguém, óbvio… E quem te critica muito provavelmente só fala, mas não faz nada de concreto para melhorar nem o bairro onde mora :( Muito legal vc ter essas oportunidades, tem que ir mesmo!! Beijo…

  56. Karla says:

    oi mel, usei uma foto sua no meu post (coloquei os devidos créditos). Recebi um comentário dizendo que você não gosta que usem suas fotos (mesmo com os créditos)… Eu posso deixar? Ou quer que eu retire? beijos. <3

  57. Thamara Santos says:

    Mel, sempre quis (quero) ter uma bandeira do Reino Unido, como a sua, mas não sei onde achar aqui na minha cidade, acredite, não vende em canto nenhum! :(
    Queria saber onde você comprou a sua.

    Desde uns 2 anos atrás, comecei a me interessar pela cultura britânica, e hoje sou apaixonada por aquele lugar, mesmo nunca tendo ido lá. Espero fazer isso um dia, esse é um dos meus grandes sonhos, sinto que é o lugar onde pertenço, não há outro lugar onde eu mais queria estar. Te compreendo totalmente com esse post, seus conceitos explicando o porque desse imenso amor pela Inglaterra, porque faço das suas palavras, digo, suas ideias e pensamentos, os meus. Por isso depois que te conheci me senti completa, nos parecemos tanto, e por isso eu consigo te amar tanto, uma pessoa que talvez nem saiba o quanto, nem saiba sua importância na vida de alguém que nem imagina existir. Estou escrevendo isso com a maior vontade de te abraçar, to emocionada de verdade! Eu te amo Mel, espero que um dia possa ouvir minha voz dizendo isso a você <3 E amo a Terra da Rainha ♥

    • Melina says:

      Muito obrigada pelas palavras cheias de carinho ♥
      Esse post trouxe tantos comentários lindos que fiquei emocionada :) Vontade de reler todos!
      Espero que um dia você realize o sonho de conhecer a Terra da Rainha e que a gente possa tomar um chá por lá ;)
      Sobre a bandeira, eu comprei em uma lojinha no centro de Curitiba. Acho que você consegue encontrar a bandeira na internet também em sites como Ebay e Mercado Livre :*

  58. Natalia Castanho says:

    Sinto a mesma coisa Mel!!!!
    Quando li seu texto me identifiquei muito. Sou apaixonada pela Inglaterra e muitas pessoas não conseguem entender o porque nunca consegui me sentir brasileira rsrsrr. Amo o Brasil, mas, como você, nunca me senti em casa como me sinto em Londres. É algo mágico que não tem como explicar!
    Parabéns pelo texto e pelo blog. Adoro ver seus post!!

  59. Adorei o post, MeL, sei exatamente como se sente e concordo plenamente com o que escreveu…desde quando preferir algo significa desmerecer ou desprezar outra coisa? Na verdade o que acho mesmo é que gente que vive policiando os gostos ou preferências alheias deveriam ter mais cuidado ao emitirem opinião sobre o que desconhece e não tem nada com isso…começar julgando, ofendendo e acreditando que a própria opinião é que é a correta ou a que é a única correta é muita pretensão e pequenez de pensamento.

    E até arrisco a dizer que muita gente gostaria de tomar decisões, exteriorizar o que pensa, mas não tem coragem por achar que seria “bombardeada” com críticas ou mal compreendida…muita gente quer ser respeitada mas não respeita o outro…sabe aquela história de dois pesos duas medidas? acho que se aplica aqui.

    Eu sou baiana, amo Salvador mas não gostaria de voltar a viver lá por mais que ache a cidade o encanto que seja o local onde tenho muitos parentes e amigos que amo verdadeiramente e que morro de saudade. Pra mim Salvador é só pra passar as férias, recarregar as minhas baterias com a hospitalidade e energia de lá…quem sabe daqui a um tempo eu mude de ideia e queira morar lá? mas sentir isso e decidir sobre o assunto cabe a mim e a mais ninguém.

    Se a gente começasse a achar que gostar do país que nasceu significa aceitar tudo, ter que demonstrar 24 horas por dia que é a maior maravilha do mundo, que não poderia ter nascido ou estar no melhor lugar do mundo a coisa iria complicar, sonhos teriam que ser deixados de lado e ninguém mais poderia criticar, no final tudo se resumiria num bando de vaquinhas de presépio vestidas de verde e amarelo e com colar de índios…sinceramente ser patriota e respeitar a Pátria vai muito além disso!

    O mundo é seu e de todoss aqueles que sonham e que seguem em busca dos seus sonhos…a vida é muito curta pra ficar se preocupando com a opinião de quem nem sabe o que quer ou que tem medo de expressar o que realmente sente. Esses não sairão do lugar porque estão limitados aos muros e barreiras que criaram.

    Um beijo no seu coração lindo e todas as bençãos do mundo pra você, pin! ❤

  60. Natty Santos says:

    É isso aí Mel, não é porque você nasce em um país que não possa gostar mais de outro!
    Ótimo desabafo, não liguei para o que as pessoas fala sobre você gostar da Inglaterra, aposto que essas pessoas nem encontraram ainda seu lugar no mundo!

    E também gostei do comentário da Clara e da Laís, é isso aí meninas!

    Amo o Brasil, mas na boa odeio carnaval =/

    Bjus!

    http://nattypoupee.blogspot.com
    http://nattwonderland.blogspot.com

  61. Mel querida, vá ser feliz, e não demore!!! <3
    Talvez quem escreve coisas assim sobre não ser patriota ou sei lá que baboseira, não teve a oportunidade de ver outros horizontes, e que pena, pois a alma muda a cada nova viagem.
    Já me senti exatamente assim como você descreveu, e também não foi por aqui :)
    Cada um deveria saber qual é o seu lugar nesse mundão e fronteiras são coisas que os homens inventaram.
    Beijo grande!

  62. Manu says:

    Meu encanto pelo Serendipity vem bastante do fato de eu me identificar com muitas das coisas que você faz/gosta… e essa paixão pela Inglaterra sempre foi uma delas. Achei que eu fosse a única pessoa no mundo que tivesse esse sentimento em relação a um lugar que nunca foi! Tenho a mesma história de me apaixonar por várias coisas e perceber que todas elas vieram dessa ilhazinha que fica a milhares de quilômetros da gente (Harry Potter, Sherlock Holmes, livros da Agatha Christie, Queen, Led Zeppelin, Queen Elizabeth II, a bandeira linda… o mapa do metrô! o som das palavras! o clima chuvoso!) e quando no ano passado soube do seu intercâmbio eu fiquei tão feliz aqui, imaginando que alguém que tinha esse mesmo “bichinho” dentro de si de se sentir parte de outro lugar finalmente ia encontrar esse pedaço faltante. Espero que a experiência dessa vez seja tão linda quando a anterior, e que um dia você (nós, hehe) possa morar lá!
    Quanto à opinião das pessoas que sempre criticam você por conta de “não demonstrar amor pelo Brasil”, acho, só acho, que as pessoas precisam cada vez mais aprender a respeitar as opiniões alheias ao invés de ficar demonstrando descontentamento gratuito com uma coisa que nem afeta a vida delas. Em momento nenhum você disse que não gostava do Brasil, afinal! hehe
    Enfim, queria dizer também que ver que você vai pra lá novamente me deu ainda mais vontade de desembarcar no aeroporto de Heathrow e descobrir se me sentirei assim tão em casa por lá também. Estou colocando todas as moedinhas que aparecem por aqui no “fundo de viagem” que eu fiz, e espero poder realizar esse sonho também.
    Um beijo, Mel!

  63. Elaine says:

    Eu sinto o mesmo em relação a Irlanda. …. Nunca fui pra lá…. Ainda. … Mas sinto que pertenço aquele lugar. Também acho que nasci no país errado. :3

  64. Carolina says:

    Oi Mel! Dificilmente eu comento no blog, mais por vergonha do que por qualquer outro motivo, mas esse post realmente tocou uma parte diferente de mim.
    Entendo bem como é esse sentimento pois desde pequena tive muito da cultura britânica na minha vida, principalmente em relação à música, todas as bandas preferidas do meu pai são britânicas e isso me influenciou muito.
    Espero que quando eu finalmente vá para a Inglaterra eu possa me sentir no “meu lugar” assim como você sentiu. Sempre me identifiquei muito com você desde que descobri o blog, na verdade, foi meio de imediato, como se te conhecesse há anos e agora após algum tempo você passou a ser também inspiração para mim.

    Boa viagem, Mel! E continue sendo sempre essa pessoa doce e inspiradora que és.

  65. Paula Hosken says:

    Eu também me sinto assim Mel. Desde muito pequena, eu e meus pais sempre fazemos viagens anuais à Bahia e até alguns anos atrás, eu gostava disso, mas com o tempo, comecei a me enjoar daquilo e adiquiri os meus próprios gostos, que por acaso não tem tem nada a ver com os dos meus pais. Acabei descobrindo que amo frio, chuva, livros e viagens. Descobri a alguns anos atrás que minha família tem descendência Inglesa e finalmente notei que na casa de meus avós tem um quadrinho com o brasão da família com as escritas “Hosken, England”. É estranho, mas eu me orgulho disso. Gosto do fato de que eu tenho um pezinho neste país tão perfeito (ao meu ver) que é a Inglaterra. Meu maior sonho é sem dúvida sair de casa e conhecer o mundo e todos os países que me atraem , já que junto com o meu amor pela Inglaterra, veio o meu amor por viagens. Infelizmente, ainda sou muito nova e sei que se conseguirei realizar meus sonhos quando tiver idade para trabalhar e conquistar o meu próprio dinheiro. Eu sempre comento com meus pais o quanto eu desejo conhecer o mundo, o quanto isso seria importante para mim, mas eles sempre vão contra e dizem o quanto o Brasil é grande e quanta coisa tem para se conhecer aqui dentro mesmo, mas o problema é que essa idéia não me atrai. Eu realmente amo minha terra. Eu amo Minas. Amo o pão de queijo, as cidades históricas e também gosto do nosso clima montanhoso (apesar de preferir o frio em si). Mas falando sério, não suporto ficar queimando no sol, não gosto da água salgada, detesto suar, não gosto de samba e nunca pulei carnaval. Isso não é para mim. Apesar de tudo, eu não só acho como tenho certeza absoluta que ainda conhecerei a Inglaterra e todos os outros países que eu tenho vontade de conhecer, mesmo que demore anos para que eu posso fazer isso. Mas eu não vejo a hora que isso finalmente vai acontecer.

    Amo muito seu blog porque eu realmente me identifico com você. Fico muito feliz que você vai voltar a Inglaterra (deve ser incrível!). Mal posso esperar para ler seus posts sobre o assunto e ver as fotos que você vai tirar lá.

    Muuuuuitos beijos Mel!

  66. Noemih says:

    posso te falar? até carinha de inglesa você tem! é aquela velha história… a casa da gente é onde o coração está. e não tem problema nenhum escolher onde ele vai ficar ou deixá-lo voar por aí. vai ser feliz, muié! e mande vários posts apaixonados de londres (que parece mesmo ser um encanto). tudo de bom pra você ;)

  67. Monica says:

    Ai, Melina. Nem fale em viagem internacional. Quero muito conhecer o Canadá, mas me contentaria em conseguir ir pelo menos aí em Curitiba ver o amor. :/
    Parabéns por tudo, você é uma linda e faz um ótimo trabalho. Você gosta e se orgulho (em partes) do nosso país e é o que vale.

  68. Monica says:

    Ai, Melina. Nem fale em viagem internacional. Quero muito conhecer o Canadá, mas me contentaria em conseguir ir pelo menos aí em Curitiba ver o amor. :/
    Parabéns por tudo, você é uma linda e faz um ótimo trabalho. Você gosta e se orgulha (em partes) do nosso país e é o que vale. Boa sorte, só não deixe de fazer o que ama. Um beijo gigante.

  69. Jess says:

    sou totalmente contra patriotismo. Isso não quer dizer que seja contra o Brasil, mas simplesmente que o mundo é GRANDE demais para nos prendermos a uma ideia de que temos de valorizar somente o lugar onde nascemos. Somos todos humanos, estejamos no Brasil ou na Inglaterra. A única coisa que deveríamos mesmo brigar para defender é a paz entre os povos e o intercâmbio de valores entre culturas e sociedades. Não que meu pais é melhor, ou que eu tenho que amar aqui e não lá.

    Enfim, não se sinta só Mel. Eu amo o mundo todo mesmo sem ter ido para todos os lugares. Talvez um dia eu encontre um país que faça meu coração bater mais forte, mas até lá, continuarei defendendo o direito de todos a gostarem do que quiser e amarem acima de tudo, a humanidade.

    :D

  70. Daiana Fialho says:

    Na verdade, eu também me sinto na maioria das vezes uma estranha em meu país. Eu amo o Brasil e admiro sua cultura e o seu povo. Mas…por mas que eu ame não consigo me identificar. Eu sou carioca, e as vezes me sinto mal pq a maioria dos meus amigos e das pessoas que conheço adoram ir a praia, amam o calor… Enfim, eu não suporto nada disso!! Acho que muitos devem me achar maluca kkkk . Mas eu não estou nem aí, pq o importante é o que eu sinto e o que me faz bem!

  71. Ludmila says:

    Salvador, Rio de Janeiro, Campinas,… e de todo o Brasil, você veio parar numa cidade com o melhor do clima inglês (:

  72. nicoly says:

    Mel, parabéns pelo seu texto!!!! essas pessoas que falam sem saber o que passam dentro da gente não tem mais o que fazer! Nem eu nem você, nem NINGUÉM precisa ter amor e patriotismo pelo país em que nasceu simplesmente porque as pessoas falam que isso deve ser feito. E se nós gostamos incondicionalmente de um outro país ( todos que me conhecem sabem que eu amo a Itália e a Inglaterra de paixão) O PROBLEMA É NOSSO!!!!!!!!! se a gente tem um certo amor por tal país sem ser o nosso, é por alguma razão, e as pessoas não tem que se intrometer nisso porque é uma coisa pessoal e seu gosto. Por isso, boa viagem para a terra da rainha, aproveita tudo o que puder, e se algum dia tiver vontade, se muda para lá.
    ps.:AMO SEU QUARTO, com todos esse livros e coisas da Inglaterra <3

  73. Carol says:

    Parabéns pelo post, Mel!
    Eu também adoro a Inglaterra e sempre falam a mesma coisa pra mim, que eu também não gosto do Brasil, isso não tem nada a ver!
    Tive a oportunidade de viajar pela Inglaterra ano passado, foi a melhor coisa que me aconteceu <3
    Mas Mel, tenho uma pergunta/conselho pra você… já que você gosta tanto da Inglaterra, por que não experimenta conhecer outras cidades de lá além de Londres? Tem muitas cidades incríveis lá! Quando fiz meu "tour" pelo Reino Unido conheci tanta cidade linda, uma diferente da outra.. você ia amar!!
    Ainda mais que você vai ficar 1 mês.. tem bastante tempo pra conhecer várias cidades :) e viajar por lá é super rápido né, tem cidades incríveis que ficam a 50 min de Londres, como Cambridge e Oxford..
    Você também ia amar Liverpool, já que gosta tanto de Beatles! :3
    Enfim, várias outras também…
    Bom, só um comentário mesmo ^^
    Beijos e boa viagem

  74. Mel, to aqui aplaudindo esse seu post! Ficou muito bom e eu concordo com tudo que você disse!
    A única coisa que eu acho chata é quando alguém é muito fanático por alguma coisa, seja ela um país, uma série, um estilo de música, etc, e despreza as outras coisas sem nem ao menos conhecer.

  75. Sharon says:

    Sempre torcendo pela sua “volta pra casa”. Te amo. Here, there… everywhere <3

  76. Annie says:

    Nossa Mel , como adorei seu texto , acho incrível a maneira que você fala sobre Londres e não acho errado por te julgarem por gostar de outro país . É a sua opinião , e se gosta é muito gratificante compartilhar com as pessoas daquilo que entende , ah , eu também quero muito um dia poder conhecer esse país tão bonito e cheio de vida , adoro muito todos os post que faz .
    Beijos’ ♥
    http:realeza-diferente.blogspot.com.br

  77. millena kelly says:

    tambem n gosto de calor mel, sempre gostei de inverno a unica coisa q eu vejo de bom no calor e q eu posso tomar sorvete a vontade(eu sou apaixonada por sorvete hehe) mas fora isso n vejo graça no verão e como vc sempre amei londres meu sonho um dia e ir pra la. p.s:eu tbm sou baiana

  78. Kessia Roque says:

    Oi Mel, adorei o post muito bem escrito. Parabéns! Minha amiga vai passar um mês em Londres em dezembro e ano que vem vou com ela e não vejo a hora de ir pra lá <3
    Boa Viagem :)
    Um forte abraço :)

  79. Anna says:

    Oi, Mel !
    Sei que esse post ja eh meio antigo, mas so pude ler agora. Você conseguiu colocar em palavras aquilo que eu sinto em relação a Inglaterra e ao Brasil. Sempre pensei assim, mas, confesso, não conseguia (e nem consigo ainda) expressar o quanto eu sou apaixonada por aquele pais, por aquela cultura e por aquela língua. Assim como você, vivo sonhando com uma vida na minha terrinha, com a possibilidade de poder morar la, mas confesso que vejo esse meu sonho um pouco distante, o que me deixa ansiosa e um pouco triste. Reconheço que sou brasileira, mas não me identifico com a cultura do local e muito menos com os costumes, me sentindo deslocada nesse lugar.
    Ja faz dois anos que eu fui para a Inglaterra e, juro, não passo um dia sem pensar na minha viagem. Quando eu cheguei la, eu sabia fazer tudo ! Andar de ônibus, metro…nada era difícil pra mim ! Tudo era certo.
    Como eu sinto falta de la…e como esse comentário ficou melancólico, hahahah.
    Obrigada pelo post e por conseguir se expressar tao bem, a ponto de ser capaz de se expressar não so por você, mas por varias outras pessoas, assim como eu.
    (:

  80. Mariana N. says:

    Nossa Mel, me sinto exatamente assim. É como se qualquer cidadezinha da Inglaterra fosse o quintal da minha casa. É emocionante lembrar de como é tudo tão pequenininho e tão lindo, aquela vontade de transferir todo mundo que a gente ama para o outro lado do mundo porque aquele é o lugar que parece ser nossa ‘casa’


Deixe seu comentário