Turismo

Posts na categoria Turismo

02. Jul. 2013

Danmark #4

Arquivado em: Turismo

Hej! No post passado nós saímos dos arredores de København e fomos até Helsingør, mas hoje vamos voltar para København porque eu quero falar sobre um parque muito legal que adorei ter visitado e acho que é um passeio imperdível para quem vai à Dinamarca.

Em Dinamarquês, o nome do parque é Jægersborg Dyrehave, também conhecido como Dyrehaven, ou Deer Park em inglês, e não é conhecido como nada em português brasileiro, então vou chamá-lo de Parque dos Veados – já que os portugueses o chamam assim, nós brasileiros também podemos. Enfim, não sei vocês, mas eu adoro bambis!

foto 1 copy

Tem até uns que são branquinhos!

foto 2 copy

E outros que são pretinhos!

foto 3 copy

Olha quantos!

O Dyrehaven é um parque florestal enorme, a gente anda bastante lá dentro, mas como é na Dinamarca, você pode ir de bicicleta, e pode andar a cavalo também. O parque tem uma ligação com os equinos, lá é sediada a Hubertusjagten, uma corrida de cavalos que acontece anualmente no primeiro domingo de novembro.

Lá é tudo bem natural: os animais ficam soltos, as árvores crescem como bem entendem e a gente inclusive vê bastante árvore velha e uns troncos anciões cheios de fungos e cogumelos caídos pelo chão, eles só são retirados se representam algum perigo para o público, caso contrário, viva a natureza como ela é!

foto 4 copy

Bambis fofos e galhos caídos

Como o parque é muito grande, tinha momentos que dava até medinho, porque não tinha mais ninguém andando por perto e eu começava a achar que nós estávamos perdidos e adentrando partes proibidas do parque, mesmo que estivéssemos caminhando pelos caminhos de terra.

foto 5 copy

Estradinha de terra

foto 6 copy

A vastidão do parque

foto 7 copy

Estradinha que não é de terra e eu parecendo um druida maligno entrando na floresta

Dentro do parque tem um palácio, o Eremitageslottet. Quando eu fui, acho que o estavam restaurando, pois ele estava com uma aparência meio lúgubre de abandonado, mas fiz umas pesquisas e acredito que ele vá voltar a ser usado pela família real, para servir uns banquetes e coisas assim (ainda fazem esse tipo de coisa?!), já que ele não foi construído com o princípio de servir como residência, lá em 1700 e tanto.

foto 8 copy

Não tirei foto do palácio porque sou boba, então aí vai uma foto minha perto de um laguinho com o cabelo no rosto para estragar a foto que tinha tudo para ser mágica não fossem as minhas madeixas mais rebeldes que as da Medusa

Lá ainda tem um parque de diversões, o Bakken, o parque de diversões em atividade mais antigo do mundo e a fonte de Kirsten Piil, que dizem ser mágica. É passeio para um dia inteiro!

Uma das entradas do parque fica perto da estação de trem Klampenborg, então é bem fácil chegar lá. Mas, se como eu, vocês acabarem se perdendo lá dentro e saírem por outra das 24 saídas do parque, não se desesperem de imediato, pois pode ser que tenha um ponto de ônibus por perto, mesmo que seja em um local meio ermo. Eu tive essa sorte.

foto 9 copy

Dybendalsvej, o ponto de ônibus da história que eu contei no meu primeiro post sobre a Dinamarca.

Como sempre, vou terminar com uns links para complementar o post. Dessa vez eles servem mais pelas fotos, pois tem do palácio e da fonte, dos quais não tirei foto quando fui. Os textos estão em inglês, mas servem para treinar o vocabulário! Vamos lá, gente, vocês não entraram no desafio da Mel de ler um livro em inglês por mês? Ler coisas interessantes na internet em inglês também tá valendo!

http://www.denmark-pictures.com/jaegersborg-deer-park.html

http://www.copenhagenpictures.dk/dyrehaven-deer-park-klampenborg-denmark.html

Hej Hej!

01. Jun. 2013

Turistando em Curitiba com Benny

Arquivado em: Turismo

kipling00

O post de hoje conta com uma participação muito especial: Benny, o macaquinho rosa simpático da foto acima. Para concluir a minha participação como Correspondente Kipling da Região Sul (já pode ficar com saudade?), resolvi fazer um post apresentando alguns pontos turísticos da minha cidade pra vocês.

Pra quem ainda não sabe, eu moro em Curitiba, capital do Paraná. Aqui não tem praia, mas tem muitos parques, praças, museus e cafés. Uma coisa que eu acho muito legal é que muitos pontos turísticos são homenagens aos imigrantes que vieram pra cá há muitos anos então tem homenagem para os japoneses, alemães, poloneses, ucranianos, italianos etc. Não vou mostrar todos os pontos turísticos nesse post, mas escolhi alguns dos meus preferidos pra levar o Benny e mostrar pra vocês.

kipling01

A Praça do Japão é uma das minhas favoritas de Curitiba. Foi construída em 1962 para homenagear os imigrantes japoneses que chegaram na cidade em 1910. Em 1993 ela foi reformada e e ficou ainda mais linda com o Portal Japonês, o Memorial de Imigração Japonesa, a Biblioteca Municipal da Praça do Japão (se você estiver procurando livros em japonês encontrará por lá) e a Casa da Cultura (cheia de origamis, ikebana e hai-kais). A Praça é linda o ano inteiro, mas no inverno fica muito mais linda porque as 30 cerejeiras (sakuras) enviadas do Japão ficam cheias de flores! Então se você gosta de cultura japonesa e de fotografar, a Praça do Japão é uma parada obrigatória.

Para saber mais sobre a Praça do Japão aqui!

Endereço: Avenida Sete de Setembro, esquina com a Rua Francisco Rocha no bairro Água Verde.

kipling02

A Unilivre do Meio Ambiente é um lugar com muito verde mesmo. Pra chegar lá a pessoa precisa passar por uma “estradinha” de madeira que fica sobre a água entre muitas árvores e plantas. No final da estradinha há um lago com um lindo cisne preto (a companheira dele infelizmente morreu), vários patinhos, uma muralha linda, um palco e uma rampa que nos leva até um mirante que tem uma vista linda. Na Unilivre são ministrados cursos sobre o meio ambiente e sustentabilidade urbana. Amo esse lugar, principalmente a estradinha e seus vários tons de verde.

Para saber mais sobre a Unilivre do Meio Ambiente clique aqui!

Endereço: Rua Victor Benato, 210, bairro Pilarzinho.

kipling03

A Ópera de Arame é um teatro lindo que tem aqui em Curitiba. Ele foi todo construído com tubos de aço e estruturas metálicas e coberto com placas transparentes. No andar inferior tem um café e um espaço com bancos de praça para sentar e admirar a vista. Ah, sim nesse mesmo lugar dos bancos tem uma parede com placas que registram nomes de grandes artistas que fizeram show logo ao lado da Ópera de Arame na Pedreira Paulo Leminski (a minha placa favorita é a do show do Paul McCartney). Uma dica: quando for visitar a Ópera de Arame evite usar salto porque o chão é cheio de buraquinhos e, dependendo do salto, você pode ficar com o sapato preso.

Para saber mais sobre a Ópera de Arame clique aqui!

Endereço: Rua João Gava no bairro Pilarzinho.

kipling04

O Bosque Alemão fica em um dos meus bairros favoritos de Curitiba, o Jardim Schaffer (Vista Alegre), mas não é porque lá tem casas mansões que é um dos meus favoritos e sim porque algumas ruas tem nomes de compositores como Rua Johann Sebastian Bach, Rua Beethoven, Rua Schumman…ok, acho que deu pra entender, né? Bom, o Bosque Alemão começa na Torre dos Filósofos (vou falar sobre ela logo abaixo) e termina com um portal amarelo que é uma reprodução da Casa de Mila, uma residência de 1870 construída por imigrantes alemães. O caminho da Torre até o Portal é por dentro de um bosque com uma estrada de pedras cheia de árvores ao redor. Nesse caminho, além de poder admirar a natureza há pequenos murais com a história de João e Maria (Hänsel e Gretel). Ah, e lá também tem a Casa Encantada (Casa da Bruxa) que, além de ser uma biblioteca de contos infantis, dependendo do horário, você encontra uma Bruxa contando histórias para as crianças.

Para saber mais sobre o Bosque Alemão clique aqui!

Endereço: Fica entre as ruas Franz Schubert, Nicollo Paganini e Francisco Schaffer no bairro Jardim Schaffer (Vista Alegre).

kipling05

Como disse ali em cima, a Torre dos Filósofos fica em uma das pontas do Bosque Alemão. Nela tem um mirante em madeira (lindo!) de quase 20 metros de altura onde é possível ter uma vista panorâmica da cidade e tirar fotos lindas. Lá também tem o Oratório Bach (uma sala para concertos musicais) e uma lanchonete cheia de petiscos alemães.

Para saber mais sobre a Torre dos Filósofos clique aqui!

Endereço: Fica entre as ruas Franz Schubert, Nicollo Paganini e Francisco Schaffer no bairro Jardim Schaffer (Vista Alegre).

kipling06

Antes de terminar o post o Mounir quis participar e indicar um outro ponto turístico muito lindo aqui de Curitiba: o Bosque do Papa João Paulo II. Ele foi inaugurado logo após a visita do Papa em 1980 e nos faz viajar no tempo porque reconstitui o ambiente em que os primeiros imigrantes poloneses viveram quando chegaram em Curitiba lá por 1871. No total são sete casas originais construídas com madeira por poloneses que foram transferidas para lá, sendo uma delas uma capela onde o Papa João Paulo II comemorou uma missa. Acho esse lugar muito amor!

Para saber mais sobre o Bosque do Papa clique aqui!

Endereço: Rua Matheus Leme no Centro Cívico.

Como disse lá em cima, há muitos pontos turísticos em Curitiba e eu só apresentei alguns pra vocês então não deixe de clicar aqui para acrescentar outros lugares lindos da cidade na sua lista.

Mais uma dica pra fechar o post: em Curitiba há a linha Turismo (também conhecida como Jardineira) que é um ônibus de dois andares que passa por 25 pontos turísticos e o turista pode escolher 4 lugares para descer e visitar. Clique aqui para maiores informações.

Ah, eu fiz um vídeo (bem amador) dos meus passeios com o Benny pelos pontos aqui de Curitiba. Espero que vocês gostem :)

Bom, pessoal! Esse foi o meu último post como Correspondente Kipling e quero aproveitar para agradecer a Kipling pela oportunidade de trabalhar com eles (foi uma experiência muito legal) e a vocês por todo o carinho e por terem me acompanhando aqui no A Series Of Serendipity e por .

Obrigada por tudo, pessoal!

xoxo

20. Mai. 2013

Danmark #3

Arquivado em: Turismo

Hej! Hoje vou continuar falado sobre alguns passeios que fiz enquanto estive na Dinamarca e que considero interessantes para outras pessoas também fazerem quando forem para lá.

Para mudar um pouco, vamos sair das redondezas de Copenhague [København] e vamos mais para o norte da Zelândia [Sjælland], até Helsingør. Chegar até lá, partindo de København, é uma viagem de trem que dura uns 45 minutos, mas só esse trajeto já é um passeio em si, com paisagens lindas e diferentes, sem contar que andar de trem é sempre divertido.

Helsingør é uma cidadezinha bem pequena com uma localização privilegiada: é o local de maior proximidade geográfica entre a Dinamarca e a Suécia.

foto 1 copy1

Olha a Suécia do outro lado do estreito de  Øresund!

E agora vocês devem estar se perguntando “O que raios irei fazer em uma cidade dinamarquesa minúscula com menos de 60.000 habitantes além de sentir frio e olhar a Suécia lá do outro lado?” A resposta é muito simples: visitar o castelo de Kromborg [Kromborg Slot]!

foto 2

Entrando no castelo

O castelo de Kromborg também é conhecido como Elsinore, o cenário de Hamlet, uma das peças teatrais mais famosas de todos os tempos escrita por Shakespeare, por isso muitas pessoas também se referem a ele como o castelo de Hamlet.

foto 3

A lateral do castelo e uma pequena obra de manutenção

No interior do castelo, indo em direção às masmorras, a gente se depara com uma estátua enorme de um cara barbudo. Esse é Holger Danske, ou Holger o dinamarquês. De acordo com a lenda, Holger Danske lá descansa até o dia em que um grande perigo ameaçar a Dinamarca, quando então ele despertará para salvar a nação! Vocês me perdoem, mas não sei por que cargas d’água eu não tirei nenhuma foto do Holger! Não lembro se era muito escuro ou se não podia tirar foto… ou talvez foi por causa de alguma influência mística do Holger que por ser de um século há muito passado vê com desconfiança as máquinas fotográficas.

foto 4

Diferente do Holger, não vejo as máquinas fotográficas com tanta desconfiança e até tirei uma foto com o castelo ao fundo

Para visitar as masmorras do castelo é preciso levar uma lanterna, eles até vendem umas pequenininhas lá, pois é bem escuro e tem umas inscrições nas paredes (e dentro de buracos na parede) sobre a história da Dinamarca e alguns fatos lendários.

foto 5

Portinhas suspeitas que levam ao subterrâneo do castelo

Além do castelo, Helsingør não tem outros pontos turísticos de grande interesse, mas é bem simpática e agradável de passear.

foto 6

Fonte que tem em uma praça fofa

foto 7

Ruazinha de Helsingør

Este post ficou curtinho para combinar com o tamanho da cidade, mas para deixá-lo mais interessante, vou liberar uma foto bônus que talvez queime um pouco o meu filme:

foto 8

Brasileiros esculhambando o livro de assinaturas do castelo com codinomes cafonas

E para quem sabe ler em inglês e quiser saber mais sobre Kromborg, aqui está o link do site do castelo: http://www.kronborgcastle.com. Gostei bastante desse site, é bem informativo e tem boas fotos. Na parte sobre o Holger Danske tem inclusive um vídeo que conta a história dele. Para quem não sabe ler em inglês, mas quer ver alguma foto do Holger, aqui está o link que vai direto para a página sobre ele: http://www.kronborgcastle.com/en/HolgerDanske.aspx. Vocês também podem dar uma olhada no vídeo só para ver a imagem da estátua e ter uma noção do tamanho dela.

Hej Hej!