chick-lit

Posts na tag chick-lit

15. Abr. 2014

Tamanho 42 não é gorda (Meg Cabot)

Arquivado em: Livros são amor

Ai que saudade que estava de falar sobre os livros da Meg Cabot por aqui. E que saudade de publicar resenhas literárias com frequência. Pra me organizar e manter a lista de resenhas atualizada, já fiz uma lista de livros lidos que ainda não resenhei para me programar com as fotos e textos. Quero voltar a publicá-las semanalmente.

Tamanho 42 não é gorda é o primeiro livro da série The Heather Wells Mistery, que já tem 4 livros publicados no Brasil pela Galera Record (falando na Galera, vocês já viram o meu post que foi ao ar semana passada no Blog da Galera?). Essa é uma das séries adultas da Meg Cabot e o seu título engana. Na verdade ele engana muito! Quando vi o livro pela primeira vez, sem ler a sinopse, imaginei que fosse um chick-lit em que a protagonista (no melhor estilo Meg Cabot) estivesse se sentindo um pouco acima do peso e se envolvia em várias confusões tentando encontrar um namorado.

Bom, embora a protagonista Heather Wells esteja vestindo manequim 42 e esteja se sentindo um pouco acima do peso (apesar dela afirmar que “tamanho 42 não é gorda”), esse não é o foco da história e sim uma série de assassinatos misteriosos.

Sim, você leu bem o parágrafo acima: assassinatos! Quando que eu iria imaginar que essa série é uma série policial? Nunca! Mas é claro que não é apenas uma série policial porque ela foi escrita pela Meg Cabot, ou seja, além do suspense há diversão e um pouco de loucura como todos os livros da autora.

Heather Wells tem 28 anos e se tornou uma cantora pop de sucesso entre os pré-adolescentes quando ela ainda estava no Ensino Médio. Sua vida tinha um rumo até ela ter sido chutada não só pela sua gravadora como também pelo seu noivo (que estava com outra estrela pop). Ah e pra tornar a situação ainda pior, todo o dinheiro que ela tinha foi levado por sua mãe que fugiu com o seu empresário.

Ao invés de se afundar de vez, Heather começou a trabalhar como diretora-assistente em um alojamento estudantil na Faculdade de Nova York. Seu plano era conseguir estudar de graça e construir uma nova carreira após ser aprovada nos seis meses de experiência do seu trabalho, mas as coisas ficaram complicadas quando uma garota foi encontrada morta no poço do elevador do alojamento. Enquanto todos (inclusive a polícia) trataram o caso como um acidente, Heather não estava disposta a aceitar que aquela garota tinha morrido por acaso (ou por um motivo idiota como “Surf de elevador” já que meninas não brincam disso) e decide investigar para descobrir quem é o assassino.

A trama foi muito bem trabalhada e nem um pouco óbvia – pelo menos pra mim – porque fiquei tão surpresa quanto a Heather. Ainda não li o segundo – Tamanho 44 também não é gorda -, mas pretendo fazer isso em breve.

Adorei o trabalho da editora com a capa (aliás, todas as capas dessa série estão lindas) e com a diagramação. A única coisa que me incomodou foi que cada capítulo abria com uma música da época de sucesso da Heather Wells e as letras ficaram bem bizarras em Português, mas isso não é culpa da editora, afinal, muitos reclamariam se eles não tivessem traduzido. Mentira! Mais uma coisinha me incomodou: eu não me apaixonei pelo “mocinho” da história, como normalmente acontece quando leio os livros da Meg :P

ISBN: 9788501075338 | Editora: Galera Record | Páginas: 416 | Nota: 4/5

E aí, quem já leu o livro (ou a série)? O que achou?

Obrigada por tudo, pessoal!

xoxo

Youtube  Instagram ❤ Twitter ❤ Facebook ❤ Bloglovin’ ❤ Pinterest ❤ Tumblr ❤ Goodreads  Flickr

12. Mar. 2014

Samantha Sweet, executiva do lar (Sophie Kinsella)

Arquivado em: Livros são amor

IMG_4703

Já faz um tempo que decidi que quero ler todos os livros da escritora britânica Sophie Kinsella, famosa pelos seus chick-lits. Samantha Sweet, executiva do lar é o quarto livro da autora que marquei como lido.

Samantha Sweet é uma competente e poderosa advogada que tem a sua vida totalmente voltada para o seu trabalho e sonha em se tornar uma das sócias de um dos maiores escritórios de advocacia de Londres. Tudo estava caminhando para a sua realização profissional (sim, ela estava prestes a se tornar sócia) até que um dia ela comete um único erro que faz com que sua carreira (e sua vida, já que elas estão super ligadas) desmorone.

Assustada e sem saber o que fazer, Samantha surta e vai dar uma voltinha até que vai pedir uma informação em uma mansão e é confundida com uma candidata a empregada doméstica. Confusa, assustada com o que tinha acontecido com sua vida, Samantha não quer voltar para casa e decide dormir na mansão. O problema é que os Geigers (donos da mansão) realmente pensam que ela é empregada doméstica e Samantha acaba ficando. Ok, na verdade esse não é o único problema e tem um muito pior: O talento e a qualidade de Samantha como advogada é inversamente proporcional às suas habilidades domésticas e sim, ela é uma das melhores advogadas de Londres.

Como todos os livros de Sophie, sua protagonista é engraçada, desastrada e mestre em se meter em confusões. E é claro que tem um “mocinho” também que nos faz suspirar. Nesse caso, o mocinho é Nathaniel, o jardineiro da mansão que vai ajudar Samantha a dar um rumo à sua vida.

Como todos os livros que já li da autora, Samantha Sweet, executiva do lar é uma boa companhia. Suas 510 páginas (bem diagramadas) nos fazem rir e torcer para que Samantha consiga se sair bem da melhor forma possível. Ah, e também torcer para que Nathaniel exista na vida real, claro haha

Gostei muito e recomendo para quem está procurando uma leitura leve desse gênero.

ISBN: 9788501076748 Editora: Record Páginas: 512 Nota: 4/5

E aí, quem já leu? O que achou?

Obrigada por tudo, pessoal!

xoxo

Youtube  Instagram ❤ Twitter ❤ Facebook ❤ Bloglovin’ ❤ Pinterest ❤ Tumblr ❤ Goodreads  Flickr

08. Ago. 2013

O segredo de Emma Corrigan (Sophie Kinsella)

Arquivado em: Livros são amor

Eu sei que já publiquei uma resenha essa semana (The boyfriend list), mas gostei tanto tanto tanto desse livro que não aguentei deixar a resenha para a próxima semana.

No começo do ano comentei aqui que, apesar de só ter lido dois livros da Sophie Kinsella, já considerava ela uma das minhas escritoras favoritas.  O segredo de Emma Corrigan é o terceiro livro da Sophie que li e posso dizer que da lista de favoritos ela não sai mais. Gente, eu simplesmente AMEI esse livro. Dei cinco estrelinhas e coloquei coraçãozinho no skoob.

Emma Corrigan é uma mulher de 20 (e alguma coisa) anos que trabalha na Panther Cola e sonha com uma promoção por alguns motivos como: 1) Poder pagar o dinheiro que deve ao seu pai; 2) Esfregar na cara de Kerry, sua prima (chata) que, além de ser bem sucedida, assumiu o posto de queridinha da família desde que foi morar na casa de Emma quando ainda eram criança/adolescente.

O livro começa com Emma fazendo uma viagem representando a Panther Cola para fechar um negócio com uma empresa chamada Glen Oil. A sua promoção já era quase garantida (pelo menos na cabeça de Emma), mas as coisas não ocorreram bem como tinha planejado: além de não conseguir fechar com a Glen Oil, ela ainda deu vexame! A situação de Emma já não era das melhores, mas piorou ainda mais quando o avião passou por uma turbulência tensa e ela, desesperada achando que o seu fim estava próximo, não conseguiu se controlar e contou todos os seus segredos (até os mais íntimos) para o passageiro da poltrona do lado. No final da viagem o avião chegou ao seu destino e Emma e todos os passageiros sobreviveram. Tudo bem contar seus segredos para uma pessoa que você nunca mais vai ver na vida e nem sabe o seu nome, certo? Pois é, não foi bem o que aconteceu com Emma

Acrescentei esse livro não só na minha lista de livros favoritos, mas também na lista de livros que me fizeram dar gargalhadas. Sophie Kinsella tem o dom de criar personagens interessantes e de nos envolver com a sua escrita. Não se engane pelo número de páginas (384) porque quando você menos esperar já vai estar no final (e torcendo para mais páginas apareçam por ali).

Além de ter amado a história, também amei a capa e os cuidados da Editora Record. Essas estrelinhas prateadas dentro do globinho são “afundadas” e na quarta-capa elas aparecem espalhadas (transparentes, mas com verniz localizado). Muito amor!

As páginas são brancas, a fonte e o espaçamento são ótimos. Quando estava tirando as fotos para o post percebi que a margem interna é um pouco pequena, mas confesso que enquanto eu lia não me incomodei nem um pouco.

Obrigada Grupo Editorial Record pelas cortesias. Mal posso esperar para ler os outros livros da Sophie Kinsella. Aliás, já escolhi qual será ;)

ISBN: 9788501069573 Editora: Record Páginas: 384 Nota: 5/5

E aí, quem já leu? O que achou?

Quem quiser me acompanhar nas redes sociais literárias: Skoob e Goodreads!

xoxo

Quem quiser acompanhar o A Series of Serendipity é só seguir: Twitter ❤ Fanpage ❤ Instagram ❤ Youtube